Ir para o conteúdo

Por Melissa Cannabrava
Colaboração de Renata Fontanetto

 

Ilhas do Rio Negro no Parque Nacional do Jaú. Crédito: Luciana Alvarenga - Cooperação COC/EBC/ICMBio

A pesquisadora Luciana Alvarenga, integrante do Núcleo de Estudos da Divulgação Científica do Museu da Vida, acaba de ganhar apoio financeiro em edital da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro - Faperj. O anúncio aconteceu no dia 11 de fevereiro, como resultado do Programa Educação Digital Inclusiva – Apoio às Instituições Públicas de Educação Superior – 2020. 

O projeto contemplado, "Ecologia, História e Saúde: o desenvolvimento de conteúdos audiovisuais sobre a biodiversidade brasileira para instituições de ensino e pesquisa do estado do Rio de Janeiro", é uma das 33 propostas vencedoras do edital, que contemplou diversas instituições de ensino e pesquisa fluminenses. O programa da Faperj é destinado a apoiar a implantação, difusão e expansão da educação mediada por tecnologia, em todos os seus níveis, por meio de projetos apresentados por pesquisadores com vínculo funcional ou empregatício nas instituições.

Para Alvarenga, o fato de ter ganho o edital destaca a importância do processo que já vem sendo desenvolvido para o projeto Curta Biodiversidade, parceria entre a Casa de Oswaldo Cruz da Fiocruz, a TV Brasil da Empresa Brasil de Comunicação (EBC) e o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). O novo projeto cria mais uma frente no âmbito das cooperações: a produção de conteúdos de apoio ao ensino superior tendo como foco a biodiversidade e suas inter-relações com a história e a saúde. A aquisição de novos equipamentos também permitirá a produção de conteúdos audiovisuais integralmente no sistema 4K, abrindo possibilidades de divulgação do material produzido no Brasil e no exterior. 

"Além de estabelecer um processo de produção e criação, o projeto pretende disponibilizar conteúdos audiovisuais, visuais e de áudio para estudantes de graduação e de pós-graduação através de diferentes meios de comunicação: web, TV, rádio, aplicativos para celulares, entre outros. Os episódios produzidos serão exibidos através da TV Brasil e da Rede Nacional de Comunicação Pública", explica a pesquisadora.

Como ponto de partida, Alvarenga propôs a estruturação de um laboratório de produção e criação de conteúdos audiovisuais sobre as biodiversidades estadual e nacional, bem como a produção de uma série de vídeos e programas de TV apresentando conceitos, experimentos e metodologias sobre ecologia, biologia da conservação, história das ciências, saúde e meio ambiente, entre outras áreas correlatas. 
  
O projeto se insere na parceria entre as três instituições - Fiocruz, EBC e ICMBio - e inclui uma parceria inédita com pesquisadores da Universidade Federal do Rio de Janeiro e do Instituto Federal do Rio de Janeiro. Os conteúdos produzidos serão disponibilizados no site Curta Biodiversidade, que ganhará uma estrutura diferenciada. A proposta prevê, também, a realização de webinários no decorrer dos 18 meses de execução. Para a produção do material, serão realizadas expedições no estado do Rio de Janeiro e em várias regiões do país. As gravações ocorrerão também nos laboratórios dos pesquisadores associados. 

Publicado em 22 de fevereiro de 2021.

Link para o site Invivo
link para o site do explorador mirim
link para o site brasiliana

funcionamento: Estamos fechados devido à pandemia. Siga-nos nas redes sociais!

Fiocruz, Av. Brasil, 4365 - Manguinhos, Rio de Janeiro| CEP: 21040-900

Copyright © Museu da vida | Casa de Oswaldo Cruz | Fiocruz

museudavida@fiocruz.br

Assessoria de imprensa: divulgacao@coc.fiocruz.br.

O Museu da Vida faz parte de:

abcmc astc redpop ecsite icom

Amigos do Museu da Vida: uma rede de Saúde, ciência e cultura

Ternium Johnson & Johnson ibm conheça