Ir para o conteúdo

Um livro, uma maleta contadora de histórias e um e-book. Três formas diferentes e gostosas de divulgar ciência que surgiram com o projeto “Nos Trilhos da Ciência”, lançado em dezembro de 2019 no Museu da Vida. A ideia é conversar com crianças de cinco a dez anos sobre a descoberta da doença de Chagas, que, em 2019, completou 110 anos desde o grande anúncio de Oswaldo Cruz à Academia Nacional de Medicina. As motivações são duas: a paixão por histórias e crianças de Claudia Oliveira, museóloga e educadora do Museu da Vida que idealizou e coordenou o projeto.

Com linguagem lúdica, o livro infantil “Nos Trilhos da Ciência” conta os caminhos percorridos pelo cientista brasileiro Carlos Chagas ao descobrir três coisas muito importantes: um inseto conhecido como barbeiro que transmitia a doença por meio de seu cocô; o microrganismo causador da enfermidade, o Trypanosoma cruzi; e os sintomas da doença, que acabou por receber o nome do pesquisador. Realmente, é um feito e tanto: ele acertou uma cajadada em cada um dos três pontos de interrogação relacionados à doença até então desconhecida.

A história começa no Rio de Janeiro, quando o seu tutor, o médico Oswaldo Cruz, enviou Chagas com outros pesquisadores ao interior de Minas Gerais para atender trabalhadores que estavam padecendo de malária. Chegando lá, ele descobriu um novo inseto que picava os moradores no rosto, o tal do barbeiro. Motivado por curiosidade, resolveu analisá-lo ao microscópio e percebeu que havia microrganismos que habitavam o intestino do inseto. A história se desenrola até o momento em que todo o ciclo da doença é desvendado.

“Sempre tive prazer em contar histórias. Ainda criança, quando havia oportunidade, por muitas vezes reunia meus primos. Estando no Castelo como mediadora, um lugar muito especial que atrai, diariamente, a atenção de quem está e de quem não está na Fiocruz, me apaixonei pela história de Oswaldo Cruz”, revela Cláudia, que já escreveu o livro infantil “Oswaldo e seu Castelo”, contando a ideia de Oswaldo Cruz ao construir o edifício que hoje é conhecido como Castelo Mourisco. A primeira publicação está disponível para download gratuito no site do Museu da Vida. “No exercício da mediação no Museu, tendo a certeza de minha afinidade com o público infantil e pensando em minha realidade quando criança, o que me instigava era aproveitar, da melhor maneira, o patrimônio da Fiocruz para conversar com crianças”, ressalta.

Junto com o primeiro livro, lançado em 2011, o cenário do Castelo ganhou um novo personagem: um avental de histórias que, até hoje, anima as sessões dos contadores de histórias no prédio. Agora, com o projeto “Nos Trilhos da Ciência”, uma maleta dará vida às histórias que são contadas no livro. “As crianças pequenas não deveriam entrar e sair do Castelo sem despertar para temas tão importantes. E nós, mediadores, não deveríamos desperdiçar a oportunidade de ouvir o que as crianças muito pequenas trazem. É um aprendizado mútuo que só poderia acontecer a partir da brincadeira”, defende Cláudia.

Se a história é importante, a ilustração é fundamental. O ilustrador do projeto, Caio Baldi, acredita que a linguagem da ilustração pode e deve ser utilizada pela divulgação científica porque desperta os sentidos. “No livro e no e-book, são usados termos mais científicos. Talvez alguém pense que as crianças não podem assimilá-los. Mesmo que a criança não saiba o nome científico de um vírus ou de uma bactéria, a ilustração vai atuar no interesse da criança por determinado assunto”, pontua. 

E, como bem lembrou Caio, o projeto ainda tem um e-book. A atuação de Carlos Chagas e Oswaldo Cruz no episódio da doença de Chagas é narrada por meio de recursos diversos, como áudio, vídeos, animações, galerias de foto e informações complementares, as quais podem ser acessadas pelas crianças ou trabalhadas por pais e professores. Por exemplo, na terceira tela do e-book, é possível clicar no item “Família” e acessar uma seção com imagens em que Oswaldo Cruz aparece com familiares em diferentes momentos. O projeto conta também com audiodescrição. 

Pensou que as crianças não teriam espaço no livro eletrônico? Pelo contrário! No e-book, algumas crianças foram convidadas para recontar episódios da história da saúde pública brasileira com suas próprias palavras. Você sabe como surgiu a vacina da varíola? É o que relata, por exemplo, Victor Hugo, de 9 anos, no vídeo abaixo. 

“Por se tratar de uma mídia que reúne muitas possibilidades, o e-book é perfeito para reunir referências e temas para pais e professores também”, complementa Cláudia. A gente convida você a conhecer o projeto e a apresentá-lo a pequenas curiosas e pequenos curiosos que estão por aí! Depois, conta pra gente o que acharam? =)

 

Atualizado em 15/010/2020.

Link para o site Invivo
link para o site do explorador mirim
link para o site brasiliana

funcionamento terça a sexta-feira: 9-16h30, sábados: 10h-16h

agendamento de visitas 55 21 3865-2138

Fiocruz, Av. Brasil, 4365 - Manguinhos, Rio de Janeiro| CEP: 21040-900

Copyright © Museu da vida | Casa de Oswaldo Cruz | Fiocruz

museudavida@fiocruz.br

Assessoria de imprensa: divulgacao@coc.fiocruz.br.

O Museu da Vida faz parte de:

abcmc astc redpop ecsite icom

Amigos do Museu da Vida: uma rede de Saúde, ciência e cultura

Johnson & Johnson ibm conheça