Ir para o conteúdo
Veja o vídeo institucional do Museu da Vida!


Vermelho, todo cheio de desenhos legais, com balões de conversa interativos e escrito bem grande #PartiuMuseudaVida. Nosso ônibus Expresso da Ciência é inconfundível!

Saiba como ele funciona:

(Foto: Fábio Iglesias)
O uso do ônibus é restrito a escolas públicas de Manguinhos ou da “Rede Cultural Território em Transe”, formada por escolas de territórios socialmente vulnerabilizados.

Além disso, escolas que participam dos Encontros de Professores do Museu da Vida também podem ser contempladas. O contato para mais informações sobre os Encontros de Professores pode ser feito pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.. Já para a “Rede Cultural Território em Transe”, envie um e-mail para Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.. Outros grupos podem pedir para participar desse projeto, como ONGs, Associações de Moradores e Movimentos Sociais, desde que a área de atuação esteja dentro de um território vulnerabilizado.

Compartilhe e participe! O Museu da Vida é para todos. #PartiuMuseudaVida

ATENÇÃO: no mês de fevereiro, não há necessidade de agendamento prévio.

A visita ao Museu da Vida é uma experiência única! Curtir em grupo pode deixar tudo ainda mais divertido! Para vir de terça a sexta em março, basta agendar uma visita pelo número (21) 2590-6747, ligando de segunda a sexta, das 8h30 às 16h30, ou vir diretamente ao Centro de Recepção, no campus da Fiocruz. O agendamento pode ser feito por escolas das redes pública e privada, universidades, ONGs, projetos sociais e outras instituições com um mês de antecedência. Lembramos que, aos sábados, estamos abertos das 10h às 16h e não há necessidade de agendamento prévio.

Crianças olham para o teto do Castelo
Os detalhes do Castelo Mourisco sempre revelam muita história! Que tal conferir pessoalmente? (foto: Peter Ilicciev)

Nossa programação oferece atividades gratuitas que mesclam ciência, saúde, história e cultura! Ah! Aqui a diversão também não fica de fora! No Parque da Ciência, a ideia é participar, perguntar e mexer nos equipamentos disponíveis no espaço, divididos pelos temas energia, comunicação e organização da vida. Nele, dá para escalar uma célula gigante ou correr para a Pirâmide, outra parte do Parque da Ciência, e montar um modelo de célula. Tem um montão de atividade bacana!

Você curte ciência e arte? Na Tenda da Ciência e no Epidauro elas andam juntinhas! Dá para assistir às nossas peças de teatro e viver histórias emocionantes com os personagens. No Laboratório de Percepção, atividade que acontece no Epidauro, nossos visitantes desafiam os sentidos com muita arte e ciência, explorando painéis interativos e instrumentos ópticos que abordam conteúdos de física e biologia. 

Ao lado do Epidauro, o Borboletário Fiocruz é a casa para as encantadoras borboletas, numa área em que os visitantes aprendem mais sobre as quatro espécies que ali vivem - olho-de-coruja (Caligo illioneus), ponto-de-laranja (Anteos menippe), borboleta-brancão (Ascia monuste) e Julia (Dryas julia) - e seus hábitos alimentares e reprodutivos. 

Nossas visitas também estão recheadas de história! O Castelo Mourisco sempre arranca expressões de surpresa. Nele, o que não falta é história para contar, como as visitas de cientistas ilustres e a importância de sua construção para a ciência e saúde brasileiras. Além de passear, você confere exposições e intervenções teatrais.

A Fiocruz está localizada na av. Brasil, n. 4365, no Rio de Janeiro, campus de Manguinhos. Para mais informações, acesse a página sobre o agendamento. Aguardamos sua visita!

Atualizado em 03 de fevereiro de 2017

Exposição
Exposição "Isso é o fim do mundo", montada em 2016 no Salão de Exposições Temporárias. (Foto: Luciana Alvarenga)

No Museu da Vida, há sempre espaço para novidade. Além das exposições permanentes do Castelo e das demais atividades do museu, contamos com um espaço próprio para apresentar exposições temporárias, a maioria delas produzidas por nossa equipe. A ideia é explorar, de forma dinâmica e atrativa, temas diversos ligados à ciência e à saúde. As exposições ficam em cartaz durante alguns meses nesse salão e depois, muitas vezes seguem para itinerar por outros estados do Brasil. 

Além das exposições preparadas pela equipe do Museu da Vida, recebemos no Salão de Exposições Temporárias mostras de outras instituições. 

O que você diria sobre o fim do mundo? Baseados em respostas de cerca de 200 pessoas em um questionário on-line, alunos do curso de museologia da Unirio, com apoio do Museu Nacional da UFRJ, criaram a expo "Isso é o fim do mundo!", que fica em cartaz no Salão de exposições temporárias do museu até 28 de maio. 

O final dos tempos inquieta a humanidade há seculos e já inspirou uma série de crenças, teorias e opiniões. A expo oferece a oportunidade de refletir sobre essas diferentes versões. Foto: Renata Fontanetto

Segundo Marina Lima, aluna e uma das organizadoras, o objetivo é estimular o visitante a conhecer, refletir e questionar a diversidade de opiniões sobre o tema. Para isso, são utilizados diversos recursos, de livros sagrados (como a Bíblia e o Alcorão), a músicas, efeitos de iluminação e peças museológicas.

A inauguração da mostra celebra o início de uma parceria entre o Museu da Vida, a Unirio e o Museu Nacional. "Estamos felizes e otimistas com esta iniciativa, que abre novas possibilidades para o nosso público, trazendo outros olhares para as exposições temporárias apresentadas no MV”, afirma Diego Vaz Bevilaqua, chefe do Museu da Vida.

“A concepção de uma exposição é uma ideia que vai crescendo, é um desafio”, destaca Marina. A exposição é organizada em três módulos: científico, simbólico e humano. O primeiro aborda o discurso teórico da ciência sobre as diferentes possibilidades de fim do mundo, no processo dinâmico do próprio universo. No segundo, o tema é apresentado sob a ótica de lendas, mitos e crenças religiosas de diferentes culturas e grupos sociais. Já no terceiro, o aspecto humano é desenvolvido a fim de causar impacto e conscientizar, com imagens de guerra, desastres naturais e poluição, mostrando ações do ser humano que contribuem para a aceleração do processo de degradação do meio ambiente. 

“A exposição demonstra como a ciência e as demais dimensões da vida estão entrelaçadas, mesmo quando o tema é o término da vida em nosso planeta. Esse é um tema que instiga as pessoas desde tempos remotos. A Fiocruz, enquanto importante instituição de pesquisa científica, desenvolve papel de destaque no combate às epidemias e pandemias que povoam o imaginário social, como grande fator de risco à vida em nosso planeta”, afirma Alessandro Batista, coordenador do Serviço de Visitação e Atendimento ao Público do Museu da Vida.

Além de alguns livros clássicos que ajudam a entender o assunto - como "A origem das espécies", de Charles Darwin; "Vida e morte do planeta Terra", escrito pelo paleontólogo Peter Ward e pelo astrofísico Donald Brownlee; "Os miseráveis", de Victor Hugo; e "A guerra dos mundos", de H. G. Wells -, os organizadores também abordam o tema a partir de obras de arte, como 'O tormento de Santo Antônio', de Michelangelo; e 'Os retirantes', de Portinari. 

Isso é o fim do mundo!
De 10 de março a 28 de maio
Sala de Exposições Temporárias do Museu da Vida
Endereço: Av. Brasil, 4365 – Campus Manguinhos da Fiocruz, Rio de Janeiro
De terça a sexta, das 9h às 16h30; sábados, das 10h às 16h
Entrada gratuita
Agendamento: (21) 2590-6747
Informações: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Publicado em 16 de maio de 2016



Criado em 2015, o “Programa Amigos do Museu da Vida: uma rede de saúde, ciência e cultura” vai comemorar mais um ano de edição com programação animada! O evento, aberto ao público, será realizado no dia 20 de maio, na Tenda da Ciência, às 10h, junto com outras atividades da Semana Nacional de Museus. A data também marca as comemorações dos 17 anos do Museu!

A cerimônia de lançamento contará com a presença do diretor da Casa de Oswaldo Cruz, Paulo Elian; a vice-presidente de Ensino, Informação e Comunicação da Fundação, Nísia Trindade Lima; e o chefe do Museu da Vida, Diego Bevilaqua. As empresas patrocinadoras do Programa - IBM, SCHOTT e Janssen - também estarão presentes. Na ocasião, será firmada uma parceria com o Sesc para que as exposições do Museu comecem a itinerar por algumas unidades da instituição, o que levará ainda mais ciência, saúde e tecnologia para outros cantos do Brasil!

Logo após a cerimônia, haverá a reabertura do Parque da Ciência, que passou por reformas no início do ano. Ao longo do dia, será possível conferir outras atrações, como a expo “Sharingrafia”, da fotógrafa Maria Buzanovsky, que estará em cartaz no Centro de Recepção. A mostra, que já passou por Lyon, na França, e o Museu de Arte do Rio, traz imagens que retratam jovens dançarinos do passinho.

Os mais interessados por arquitetura e história poderão conhecer o prédio centenário da Cavalariça, que integra o núcleo arquitetônico da Fiocruz e que foi restaurado recentemente. As visitas guiadas acontecem às 10h30 e 13h30. Já quem curte uma atividade cheia de emoção não pode perder o Girotec, equipamento do Ciência Móvel que, ao girar o corpo do visitante em várias direções, simula a sensação de flutuar sem peso, tal qual um astronauta no espaço!

A peça “O rapaz da rabeca e a moça Rebeca” também não ficará de fora! Em linguagem de cordel, ela conta a história de amor de dois jovens de famílias rivais que se apaixonam igual Romeu e Julieta. No entanto, uma notícia inesperada irá mexer com esse romance. De forma lúdica, a peça tenta dialogar com o público jovem sobre a importância da camisinha, o preconceito em relação aos portadores do vírus HIV e a Aids.

Não fique de fora! Venha comemorar conosco! O Museu da Vida fica na avenida Brasil, no campus Fiocruz, em Manguinhos, n. 4365, perto da passarela 6. Para mais informações, ligue para (21) 2590-6747.

Publicado em 12 de maio de 2016

Espaço de integração entre ciência, cultura e sociedade, o Museu da Vida tem por objetivo informar, educar e engajar o público em ciência, saúde e tecnologia de forma lúdica e criativa! Nossas exposições sempre tentam dialogar com essas áreas. 

Link para o site Invivo
link para o site do explorador mirim
link para o site brasiliana