Ir para o conteúdo

Por Teresa Santos

 

Créditos: João Laet

 

Haja emoção! Este sentimento marcou o primeiro dia do Festival de Cultura Popular Brasileira. A programação cultural da 19ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT) trouxe diferentes cantinhos do Brasil para dentro do campus Manguinhos.

Além dos visitantes externos, o público da SNCT também é composto por trabalhadores da própria Fiocruz. Segundo Héliton Barros, chefe do Museu da Vida Fiocruz, trata-se de um evento que congrega pesquisadores, técnicos, alunos de diferentes níveis, desde ensino médio até pós-doutorado.

- Todo mundo está muito feliz de estar de volta. É bom ver o Museu, o campus da Fiocruz com tanta vida, com tanta energia. O festival é uma novidade. Ele estava previsto para 2020, mas acabamos não conseguindo fazer por causa da pandemia. Resolvemos fazer a primeira edição esse ano, associando-o à SNCT como uma forma de brindar a todos que estão vindo, destacou.

 

Teatro e performance na programação

De fato, não faltou encanto no primeiro dia do Festival. O dia começou com uma menina para lá de esperta e, literalmente, à frente do nosso tempo, fazendo um chamado aos terráqueos: sim à vacinação! A peça 'Zia: Missão do mundo invisível' foi apresentada na Tenda da Ciência Virgínia Schall. A esquete teatral coordenada por Carolina Lopes, do Laboratório de Pesquisa Clínica em Doenças Febris Agudas do Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas (INI), foi criada especialmente para a SNCT 2022.

“Nós estamos passando por uma problemática de saúde pública que é a baixa adesão à vacinação infantil. Então, surgiu a oportunidade de criar essa performance”, destacou Carolina. O projeto se concretizou junto com o grupo teatral Três Pontos É um Plano, formado pela pesquisadora, por Marcelle Seba e Francisco Pitta. “Estamos sendo bombardeados de fake news e temos que dar uma resposta a isso. Não agir é uma omissão”, ressaltou Francisco.

Regina Lana, médica do INI, explicou que a esquete é apenas um dos formatos que a instituição está trazendo para a edição de 2022 da SNCT. “Há dez anos o INI participa do evento e esse ano está sendo ótimo, pois é o primeiro ano presencial desde o início da pandemia, e o contato com o público é maravilhoso”, ressaltou.

Não poderia faltar na programação cultural da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT) o teatro produzido pelo Museu da Vida Fiocruz. Os visitantes também puderam assistir a uma sessão da peça ‘É o Fim da Picada’ na Tenda da Ciência Virgínia Schall. Com muito humor, os atores chamaram atenção para dengue, zika e chikungunya, doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti.  

 

Carnaval e jongo são destaques

Créditos: João Laet

Com muita cor, música e alegria, o grupo Oficina da Rua trouxe o Carnaval para dentro do campus Manguinhos. Os artistas conduziram cortejos pela Fiocruz com direito a marchinhas, pernaltas e muito samba. “Quando a gente entrou na tenda da SNCT, onde estava acontecendo a programação científica, foi muito legal porque gerou uma movimentação, um burburinho”, afirmou Elisa Caldeira, artista pernalta. O encontro de ciência e cultura, que, segundo ela, em um primeiro momento, parecem distantes, evidenciou que existe, sim, muita conexão entre as áreas. “As crianças gostaram muito e nós também. Fiquei inclusive com vontade de voltar à tenda depois. Ou seja, despertou minha curiosidade”, pontuou. 

Teve ainda almoço em grande estilo! Às 12h, o palco do Centro de Recepção do Museu da Vida Fiocruz recebeu o grupo Razões Africanas. Sob o comando de Dely Monteiro e Lazir Sinval, descendentes diretas das famílias jongueiras tradicionais de Madureira, a apresentação empolgou a plateia.

Créditos: João Laet

Mas, se um show já é bom, imagina dois! Durante a tarde, foi a vez do Jongo da Serrinha! O ritmo, que é tido como “o pai do samba” levantou o público mais uma vez. Lazir Sinval, que integra os dois coletivos, resumiu o que significou este dia: “Foi algo muito especial por toda a natureza, por todos os orixás, pela força da nossa cultura. A cultura tem um papel muito importante, fundamental para tudo na vida, principalmente para a educação”, ressaltou, acrescentando a importância da ancestralidade.

Para Geraldo Casadei, produtor do Museu da Vida Fiocruz que está à frente da organização do braço cultural da SNCT com o Festival de Cultura Popular Brasileira, o primeiro dia superou as expectativas. “O show do Razões Africanas foi lindo, o do Jongo da Serrinha também foi incrível. Acho que o primeiro dia já está como um dos melhores dias do Festival”, pontuou, destacando que os ritmos brasileiros chamam muito a atenção das pessoas.

Ele reforçou ainda outro aspecto importante do evento: a inclusão dos agentes culturais de Manguinhos e Maré.

- O festival vem movimentar a cultura, principalmente, no território, que tem pouco espaço na mídia. Ele possibilitou que as pessoas e os grupos que fomentam a cultura nos territórios ocupem o Museu. A participação deles tem sido fundamental não só na feira de artesanato e de comidas típicas, mas também nas apresentações. Além disso, muitas equipes têm participantes do território atuando junto com a gente na produção da SNCT e do Festival de Cultura, ressaltou, destacando que sua equipe é composta por alunos do Programa de Iniciação à Produção Cultural (Pró-Cultural) do Museu da Vida Fiocruz. “Eles estão atuando pela primeira vez na produção de um evento de grande porte. Esse é outro ganho importante”, afirmou.

O Museu da Vida Fiocruz tem como patrocinadores máster Santander, Abbott e Enauta. A iniciativa também conta com o patrocínio da EDF Norte Fluminense, Supergásbras, Bayer, Dataprev, Technip FMC, White Martins, S&P Global, Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro e copatrocínio de Concremat e Fresenius.

 

 

Saiba mais sobre a SNCT 2022:

Museu da Vida Fiocruz promove 19ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia

Vídeo - Memórias SNCT: dois anos de encontros virtuais

Cerimônia de abertura da SNCT 2022, com a dra. Margareth Dalcolmo

Jongo é atração no primeiro dia do Festival de Cultura Popular Brasileira da SNCT 2022

Impressora 3D de medicamentos é destaque no primeiro dia da Feira de Ciências SNCT 2022

Forró de mulheres marca 2º dia do Festival de Cultura Popular Brasileira


Publicado em 19 de outubro de 2022.

Link para o site Invivo
link para o site do explorador mirim
link para o site brasiliana

Funcionamento: de terça a sexta, das 9h às 14h30.

Fiocruz: Av. Brasil, 4365, Manguinhos, Rio de Janeiro. CEP: 21040-900

Contato: museudavida@fiocruz.br

Assessoria de imprensa: divulgacao@fiocruz.br.

Copyright © Museu da vida | Casa de Oswaldo Cruz | Fiocruz

conheça