Ir para o conteúdo
Por Teresa Santos
 

O que vacina tem a ver com um campeonato de videogame? A websérie 'Invasores', novo lançamento do Museu da Vida Fiocruz, mostra que tem tudo a ver. Com estreia em 19 de julho no canal do YouTube do Museu, a obra chama atenção para a importância da vacinação infantil de forma lúdica. A partir do universo dos games, crianças, adolescentes, famílias e educadores são convidados a refletir sobre o tema.

Os sete episódios da websérie contam a história de duas equipes, Trio Valente e Pesadelo, que disputam o campeonato do jogo Invasores. Os jogadores precisam salvar o planeta Imunes de uma invasão. A competição é iniciada, porém uma ameaça surge e interrompe a disputa: o morbilivírus. Para salvar o jogo da destruição, Alex, Jonas e Bárbara, da equipe Trio Valente, se unem à equipe Pesadelo, formada por Dimitri e Ernesto. Os personagens travam uma batalha virtual contra o vírus. Tudo com humor, efeitos sonoros e visuais, estética pixelada dos anos 1980 e muita informação científica.

Na vida real, morbilivírus é um gênero de vírus que causa algumas doenças em humanos e outros animais, entre elas, o sarampo. No jogo, ele representa um vírus de computador, mas, ao longo da aventura, o telespectador vai descobrindo semelhanças entre ficção e realidade. Entre os vários temas abordados na obra, estão assuntos muito atuais, como vacinação e movimento antivacina, sistema imune, cobertura vacinal e fake news.

A obra tem direção de Leticia Guimarães e roteiro de Livs. No elenco, estão Vanu Rodrigues, Ricardo Lopes, Luiz Paulo Barreto, Hugo Germano, Pablo Aguilar, Gustavo Ottoni e Gé Lisboa. O projeto contou ainda com participação especial de Vilma Melo, Gui Rodrigues e Roberto Rodrigues e produção executiva da 70 Filmes.

A websérie é uma inovação para o Museu da Vida Fiocruz. "É o nosso primeiro produto audiovisual mais robusto. Foi um trabalho enorme, que representou um grande desafio e envolveu meses de planejamento. A obra é alinhadíssima à missão do Museu e à missão da Fiocruz. De fato, estamos pensando na melhoria da qualidade de vida das pessoas, na promoção da saúde", destaca Héliton Barros, chefe do Museu da Vida Fiocruz.

 

Uma preocupação: a queda da vacinação infantil

O projeto que estreia semana que vem nasceu alguns anos antes, mais precisamente em 2018. Naquele ano, o Brasil voltou a registrar casos de sarampo, o que culminou com a perda do certificado de país livre da doença em 2019. Este desfecho foi impulsionado pela queda do número de crianças vacinadas no país.

A situação alarmante levou a bióloga Priscila Born, que, na época, finalizava seu doutorado em Medicina Tropical no Laboratório de Vírus Respiratórios e do Sarampo do Instituto Oswaldo Cruz (IOC)/Fiocruz, a propor à atriz e diretora teatral do Museu da Vida Fiocruz, Letícia Guimarães, a criação de uma peça sobre vacinação.

A ideia ganhou força e, em 2019, passou a ter forma: um projeto-piloto teatral itinerante. O texto do espetáculo, assinado por Livs e que contou com a consultoria científica da bióloga Natália Lanzarini, do IOC/Fiocruz, já unia a temática da imunização ao universo dos games. A autora explica que buscou trabalhar com referências que fizessem parte do mundo das crianças e dos adolescentes, a fim de despertar maior interesse. "Apesar das diferenças de acesso e uso, temos uma juventude muito conectada, que está muito ligada ao computador, ao celular. Pensei então em jogos, em jogo de videogame, que é uma coisa que as crianças amam", conta Livs.

A obra, que havia sido contemplada no edital para projetos de divulgação científica da Vice-presidência de Educação, Informação e Comunicação (VPEIC) da Fiocruz, foi apresentada, no final de 2019, em escolas de Santa Cruz, Bangu, Santa Teresa, Inhoaíba e Maré. Mesmo em um formato compacto, a potência comunicadora do espetáculo ficou evidente. O sucesso alcançado impulsionou a ampliação do projeto.

Submetido à Lei de Incentivo à Cultura (Ministério do Turismo / Secretaria Especial da Cultura), 'Invasores' ganharia então uma nova versão teatral. A produção mais robusta, com novos personagens e tramas passaria a ser apresentada em 2020 na Tenda da Ciência Virgínia Schall, no campus da Fiocruz em Manguinhos. O texto foi reformulado pela Livs, em um processo colaborativo com educadores do Museu da Vida Fiocruz, e validado por consultores científicos. A produção do espetáculo chegou a ser iniciada, mas a pandemia de Covid-19 impôs restrições às atividades presenciais e um novo rumo a 'Invasores'.  

A ideia de transformar a peça teatral em websérie surge como uma forma de cumprir a meta sem colocar em risco a saúde dos profissionais envolvidos, mas também, como lembra Letícia Guimarães, como uma estratégia para garantir que o elenco continuasse a ter uma fonte de renda mínima durante a pandemia. O novo formato trouxe desafios. Letícia, por exemplo, buscou capacitação. Ao longo do processo, fez um curso de fundamentos básicos de direção de audiovisual. Livs precisou criar um novo texto, agora, no formato de roteiro. Este processo se concretizou em meio a muitos encontros virtuais com a equipe envolvida. "Foi uma experiência muito desafiadora e, ao mesmo tempo, fantástica", destaca Livs.

As gravações, realizadas na Tenda da Ciência Virgínia Schall, só foram iniciadas quando o cenário epidemiológico melhorou e a vacinação contra a Covid-19 já havia avançado. O projeto foi filmado seguindo todos os protocolos de segurança para o novo coronavírus. "Quando entramos na Tenda e vimos que já havia um set montado, com três cenários ao mesmo tempo, deu um certo medo, um friozinho na barriga, mas foi muito legal", recorda o ator Pablo Aguilar, que faz o personagem Ernesto, destacando que o projeto foi feito com muita alegria, amor e dedicação.

 

O céu é o limite

A veiculação da produção no canal do YouTube do Museu da Vida Fiocruz traz um grande potencial. "Não temos mais como medir o nosso público, é imensurável e é praticamente eterno", destaca Letícia Guimarães.

A perspectiva é que a websérie chegue às escolas do Brasil e, até mesmo, de outros países de língua portuguesa. "Vamos preparar um material e colocar na descrição do vídeo para que o professor possa acessar conteúdo extra capaz de ajudá-lo a explorar melhor os temas em sala de aula", explica Héliton Barros. Outro desejo é que, no futuro, a obra ganhe legendagem em inglês e espanhol, ampliando ainda mais o seu alcance.

'Invasores' tem como patrocinadores máster Ternium, IBM, Janssen e Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro. Também conta com patrocínio da TechnipFMC, White Martins, Rio Galeão, Schott, Fresenius, Amil, Bayer, Abbott e EDF Norte Fluminense e copatrocínio de Dataprev, Naval Group e Siemens.

 

Fotos: Acervo pessoal / reprodução

Publicado em 19 de julho de 2022.

Link para o site Invivo
link para o site do explorador mirim
link para o site brasiliana

Funcionamento: de terça a sexta, das 9h às 14h30.

Fiocruz: Av. Brasil, 4365, Manguinhos, Rio de Janeiro. CEP: 21040-900

Contato: museudavida@fiocruz.br

Assessoria de imprensa: divulgacao@fiocruz.br.

Copyright © Museu da vida | Casa de Oswaldo Cruz | Fiocruz

conheça