Ir para o conteúdo

Por Melissa Cannabrava

 

O Museu da Vida fechou as portas para o público em março de 2020 devido à pandemia, que ainda segue em curso. O grande número de pessoas vacinadas, porém, possibilita agora o retorno da visitação presencial do espaço de cultura e educação da Fiocruz. Depois de mais de dois anos oferecendo atividades virtuais, o Museu da Vida volta a receber visitantes no mês de maio somente mediante agendamento. Todos os passeios seguem as normas estabelecidas no protocolo preventivo à Covid-19 aprovado pela Fundação Oswaldo Cruz. 

Nesta nova fase, o MV oferece atividades externas, visita a exposições e espetáculos. O espaço está aberto às terças, quartas, quintas e sextas - temporariamente, não há visitação aos sábados. Para visitar o campus Manguinhos, os visitantes devem entrar em contato pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. para fazer o agendamento prévio. Visitantes não agendados não serão atendidos. A entrada continua gratuita. Alguns espaços estão em reforma para proporcionar maior conforto aos usuários. É o caso do Castelo Mourisco e da Pirâmide, que têm retorno da visitação prevista para o segundo semestre. Novas datas e mais informações serão divulgadas em breve.

"Fizemos um grande esforço para nos mantermos conectados com o nosso público. Durante estes dois anos, a nossa instituição - Fiocruz - concentrou esforços para ajudar o Brasil a vencer a Covid-19. O Museu da Vida Fiocruz, se reinventou no ambiente virtual. Fizemos muitas atividades legais, que continuarão disponíveis em nosso site e nas redes sociais. A pandemia ainda não acabou por completo, mas tomando todas as medidas necessárias, podemos aos poucos voltar a receber o nosso público presencialmente. Fiquem atentos aos procedimentos de agendamento e visita’, comenta Heliton Barros, chefe do Museu da Vida. 

Uso de máscara em áreas internas, limitação no número de visitantes nos espaços e uso de álcool em gel serão obrigatórios para todos e todas.

 

Confira a programação presencial do Museu da Vida Fiocruz (maio e junho)

Atividades externas

Parque da Ciência
Onde: em frente à Biblioteca de Manguinhos
Idade: a partir de 7 anos

O Parque da Ciência conta com uma grande área aberta, na qual estão espalhados vários equipamentos. As instalações do Parque estão organizadas em três temas principais que estão conectados: Energia, Comunicação e Organização da Vida. No ambiente Energia, o visitante tem contato com equipamentos que demonstram ou permitem observar as transformações de energia que a humanidade tem aprendido a controlar. Aparelhos como aquecedor solar, espelho parabólico e pilha humana criam oportunidades para a discussão sobre a origem da energia, eficiência energética, economia e o impacto das diferentes tecnologias de transformação e aproveitamento de energia. O espaço conta ainda com atrações como o Jardim dos Códigos – que conta a história da escrita e da matemática desde as pinturas de cavernas pré-históricas até a atualidade –, os Espelhos Sonoros e os Tubos Musicais proporcionam um ambiente interativo e divertido. A área da Organização da Vida inclui equipamentos interativos, painéis e modelos tridimensionais que mostram as relações entre os mundos macroscópico e microscópico. Alguns destaques são o modelo de célula animal gigante, que demonstra a organização da vida e permite discutir como a célula obtém e gasta energia e as esculturas que mostram como funciona a fala e a audição. Contém equipamentos acessíveis, como Pilha Humana, Espelhos Parabólicos, Praça Solar, Tubos Sonoros e Pedalando Ondas.
Obs.: não há atividades em dias de chuva.


Sítio Arqueológico 
Onde: área externa do Parque da Ciência e CDHS 
Idade: a partir de 7 anos 

O Sítio Arqueológico apresenta os vestígios do Complexo de Incineração de Lixo Urbano em Manguinhos, que funcionou no local de 1917 a 1938. A discussão sobre o que é Arqueologia, sobre a ocupação de Manguinhos no início do século XX e seu complexo de incineração de lixo são apresentadas por meio de painéis, maquetes táteis, um totem interativo e a visualização de objetos achados no local, dispostos em uma vitrine. A discussão sobre a incineração de lixo e dos resíduos sólidos, ontem e hoje, também é abordada e colocada em contexto com a história da cidade do Rio de Janeiro. 
Obs.: não há atividades em dias de chuva.


Trilha Científica Oswaldo Cruz
Onde: Centro de Recepção do Museu da Vida
Idade: A partir de 10 anos

Os visitantes percorrem uma pequena trilha que atravessa o Campus Manguinhos, com parada em diversos pontos, de forma lúdica e interativa. Busca sensibilizar o público visitante para questões ecológicas e a educação ambiental no Campus Manguinhos/Fiocruz possibilitando a apropriação do conhecimento sobre o patrimônio do território. 
Obs. 1: Grupos de idosos somente que tenham razoável mobilidade.  
Obs. 2: não há atividades em dias de chuva.


Visita pelo Conjunto Histórico da Fiocruz
Onde: Centro de Recepção do Museu da Vida
Idade: a partir dos 11 anos
Recomendações: Uso de calçados confortáveis.

Essa atividade educativa proporciona ao visitante do Museu da Vida uma oportunidade de conhecer um pouco mais sobre o processo histórico da saúde pública brasileira e as pesquisas científicas realizadas em seu âmbito a partir do empreendimento do Instituto que veio a ser tornar a atual Fundação Oswaldo Cruz. O público é recebido para a atividade no centro de recepção onde pode visualizar uma maquete do campus de Manguinhos que auxilia na compreensão geográfica do ambiente que será explorado durante a mediação, em seguida é convidado a contemplar o realizado pelo artista plástico Glauco Rodrigues que faz uma exploração de momentos marcantes de personagens, lugares e acontecimentos ligados às origens da instituição. Na sequência o grupo sobe pela alameda Oswaldo Cruz até o Pavilhão Mourisco com pontos de parada nas representações de diferentes momentos históricos expressas nas estátuas de Sérgio Arouca, Carlos Chagas e Oswaldo Cruz. No Pavilhão Mourisco (também conhecido simplesmente por Castelo), características do conjunto arquitetônico são destacadas junto a uma contextualização histórica do empreendimento, o que continua a ser apresentado no caminho para a praça Pasteur onde o visitante tem a oportunidade de conhecer mais sobre os aspectos funcionais e simbólicos das construções que se complementam no conjunto: a Casa de Chá, a Cavalariça, o Pavilhão do Relógio (também conhecido como Pavilhão da Peste, e o Pavilhão Figueiredo de Vasconcelos (conhecido por Quinino). O passeio se encerra com uma caminhada até o Pombal, última edificação do conjunto eclético a ser apresentada, onde o visitante é apresentado a outras curiosidades a respeito do campus e do caminho pelo qual está percorrendo. 


Atividade educativa: Ver de Perto
Onde: Área externa do Ciência em Cena 
Idade: 06 a 12 anos

Esta atividade tem como temática principal os insetos que são frequentemente vistos negativamente – ou simplesmente passam despercebidos – no dia a dia das pessoas. Seu objetivo é ampliar a percepção do público para a presença dos insetos em seu cotidiano e para grande diversidade do grupo. Propiciar espaço para reflexões acerca da importância desses seres para o ambiente e para a espécie humana. Busca também apresentar procedimentos e práticas relativos ao estudo dos insetos, incluindo elementos do trabalho de um entomólogo. 


Projeto Arte e Saúde - GEAEPI: Time da Saúde, Árvore da Saúde e Vamos Escovar os Dentes
Onde: Foyer 
Idade: 05 a 10 anos 

Atividades relacionadas a temática de Arte e Saúde de forma lúdica e interativa. Tem como objetivo propiciar ao público infantil vivências lúdicas e interativas sobre o cuidado com o seu próprio corpo e conceito ampliado de saúde. 

 

Avental de histórias: Oswaldo Cruz e seu Castelo
Onde: Pavilhão da Peste / Prédio do Relógio 
Idade: de 5 a 8 anos 

Apresentação de uma história especialmente criada para o público infantil sobre a personalidade de Oswaldo Cruz e sua ideia de construir o Castelo. A atividade utiliza como recurso um avental artesanal de tecido colorido, que funciona como cenário, com bolsos de onde saem os personagens da narrativa.

 

Exposições

Vida e Saúde: relações (in)visíveis 
Quando: A partir de 19 de maio 
Onde: Prédio da Cavalariça
Idade: a partir dos 11 anos

A exposição 'Vida e saúde: relações (in)visíveis' apresenta o tema em sua complexidade, com 14 módulos que convidam o público a conhecer o conceito de saúde em suas diferentes escalas, da microbiologia à saúde como fenômeno social. A mostra marca ainda a reabertura do prédio da Cavalariça, que acaba de ser restaurado.

 

Rios em Movimento
Quando: a partir de 31 de maio
Onde: Salão de Exposições Temporárias
Idade: livre

“Rios em Movimento” é uma expressão artística, científica e cultural dos rios brasileiros.  Dividida em cinco módulos - Rio que dá vida, Vida e morte do Rio, Rios que sofrem e vidas que lutam, Rio que vira arte e Cada Rio, uma história -, a mostra fala do uso sustentável de recursos hídricos e reflete as falhas no modo de vida do ser humano que podem levar à morte dos rios. Para além dos problemas socioambientais, a exposição amplia o nosso olhar para outras nascentes, fontes inesgotáveis de significados culturais e religiosos.  Entre poesias, pinturas, peças em cerâmica e outros elementos artísticos, faça uma expedição pelos rios do Norte, Nordeste e Sudeste do Brasil a partir de obras inspiradas nos saberes e culturas dessas regiões.  São obras como as do artista plástico Rodrigo Andriàn, que transmitem beleza e mensagens de incentivo à preservação dos rios e do meio ambiente. A exposição conta com recursos de tecnologia assistiva.

 

Manguinhos Revelado: Um lugar de ciência
Onde: Pavilhão da Peste / Prédio do Relógio
Idade: A partir do Ensino Fundamental

Proposta de divulgação de fotografias extraídas de um conjunto de negativos de vidro que apresentam, em múltiplas imagens, as origens da Fundação, seu cotidiano nas atividades de produção de soros e vacinas, de pesquisa e de ensino entre 1903 e 1946.   


Teatro

Peça 'Cidadela'
Quando: quintas, 10h30 e 13h30 (à partir de 26/05) 
Onde: Tenda da Ciência do Museu da Vida
Idade: a partir de 12 anos

Sinopse: Em Vem Quem Quer, as mulheres sabem das coisas: cuidar da cidade, semear, produzir remédios, escrever poemas. Mas só os homens são reconhecidos, muitas vezes, por feitos que são delas! No palco, as personagens Juçara Brio Forte e Justa Plena de Si parecem aceitar o silêncio feminino (será?), passado de geração a geração (até quando?!). Já a jovem e questionadora Nina Garota se mostra inconformada, e terá o apoio de Marina Lá Se Foi, ex-moradora da cidadela e grande incentivadora da semente da mudança. Só que essa história não tem uma heroína. Tem várias! Juntas, essas mulheres vão descobrir sua força e seu valor.  

 

Show de ciências ‘Paracelso, O Fenomenal
Quando: em maio, sessões às sextas, às 10:30h e 13:30h; em junho, sessões às terças e sextas, às 10h30 e 13h30
Onde: Tenda da Ciência
Idade: a partir de 8 anos

Vindos de não se sabe onde e viajando desde não se sabe quando, Paracelso e sua assistente Ununúltima sempre estão dispostos a apresentar para o público tudo o que descobriram e aprenderam em sua jornada. Minúcias, malícias e mistérios.... Ou seria simplesmente pura ciência? Com muito bom humor e certo charlatanismo, essa dupla um tanto excêntrica mostra várias experiências incríveis e promove um encontro único e altamente divertido. No palco, experiências de física e química são elaboradas e, em determinados momentos, integrantes da plateia precisam participar e ajudá-los! 

 

Foto: Acervo Museu da Vida Fiocruz

Publicado em 11 de maio de 2022.

Link para o site Invivo
link para o site do explorador mirim
link para o site brasiliana

Funcionamento: de terça a sexta, das 9h às 14h30.

Fiocruz: Av. Brasil, 4365, Manguinhos, Rio de Janeiro. CEP: 21040-900

Contato: museudavida@fiocruz.br

Assessoria de imprensa: divulgacao@fiocruz.br.

Copyright © Museu da vida | Casa de Oswaldo Cruz | Fiocruz

conheça