Ir para o conteúdo

 
Informativo do Núcleo de Estudos da Divulgação Científica do Museu da Vida 

Ano XX - nº. 284. RJ, 4 de fevereiro de 2022. 

----------------------------------------------------------

 

Neste informe: 

 

Destaque  

1. Negacionismo ou desejo de verdade  

Leituras  

2. Ciência sob escrutínio 

3. Jornalismo & divulgação

4. Pensamento crítico e movimento antivacina 

Ações  

5. Pesquisa busca informações sobre educadores museais

6. Compartilhando experiências em divulgação da ciência 

Eventos  

7. Convite para celebrar e trocar ideias 

8. Chamada de trabalhos para evento alemão 

Oportunidades  

9. Jornalismo ambiental por indígenas 

10. Dossiê enfocará desinformação em ciência e saúde 

11. Chamada de artigos sobre jornalismo científico 

 

 

Destaque  

 

1. Negacionismo ou desejo de verdade – Embora não seja um conceito novo, o negacionismo tem se popularizado com a crescente visibilidade conquistada por céticos do clima, terraplanistas e antivacinas. Junto com a sua popularização, é natural que venham análises simplistas sobre o fenômeno (para lá de complexo) e, com elas, reações não só inadequadas como contraproducentes. Um movimento quase automático é, por exemplo, tachar os negacionistas de ignorantes e empurrar-lhes informação goela abaixo como antídoto. Em texto publicado na revista Piseagrama, “Negacionistas são os outros”, a filósofa Alyne Costa desconstrói essa e outras visões estereotipadas do negacionismo e propõe uma reflexão mais profunda sobre o fenômeno e sobre como encará-lo de maneira mais construtiva. Valendo-se de referências diversas, que vão de Nietzsche a Latour, Costa analisa diferentes facetas da questão, entre elas noções idealizadas de ciência (de ambos os lados), relações espúrias entre ciência e política, a vontade de verdade inequívoca que coexiste com a negação de verdades inconvenientes, o pensamento crítico que pode se transformar em mentalidade paranoica e a crise socioeconômica, que teria levado a uma perda do senso de pertencimento a uma comunidade ampliada. Para a filósofa, a saída é, mais do que convencer, “engajar as pessoas em torno dos fatos, mostrar que vale a pena confiar na ciência, se posicionar como aliada da sociedade no enfrentamento das ameaças presentes e futuras. (...) A verdade se fabrica por meio do engajamento, da produção recíproca de afetos, da constituição de laços”. Leia o texto completo em: <https://bit.ly/3AWafMS>.  

 

Leituras  

 

2. Ciência sob escrutínio – No início de 2022, a prestigiada revista científica Science optou por pensar no futuro da publicação revisitando o seu passado – mas não o que a revista teve de melhor, e sim o que publicou de “vergonhoso”. No editorial “Looking ahead, looking back”, o editor H. Holden Thorp lança um olhar crítico para alguns artigos e ideias divulgados pela revista que considera “lamentáveis”. Dentre eles, cita os prejuízos que algumas visões de Charles Darwin causaram às mulheres e às pessoas negras. Thorp problematiza ainda o papel que a Science e a Associação Americana para o Avanço da Ciência (AAAS, em sua sigla em inglês) desempenharam na promoção da eugenia na década de 1920, com a publicação de artigos de cientistas sobre o tema. Para o editor, não se trata de “cancelar” tais cientistas, mas de mostrar que “A Science não tem medo de apontar seu papel no apoio à ciência maliciosa – é a história que não deve ser esquecida e pode nos guiar no trabalho com a comunidade para enfrentar deficiências, passadas e presentes, em nossas páginas e em todo o empreendimento científico”. Uma reflexão, sem dúvida, necessária. Leia o editorial na íntegra, em: <https://bit.ly/3ojYZoz>.  

 

3. Jornalismo & divulgação – Apesar de antiga, uma discussão volta e meia volta a circular nos bastidores da ciência e da sua comunicação: jornalismo de ciência é um tipo de divulgação científica? As opiniões sobre o tema e os argumentos que as sustentam podem até variar ao longo do tempo – afinal, estamos falando de campos dinâmicos, que passam por transformações constantes –, mas raramente elas levam em consideração os conhecimentos produzidos no âmbito desses campos, o que acaba por empobrecer o debate. Em um desses momentos em que a questão volta à tona, a jornalista Carla Almeida, pesquisadora do Núcleo de Estudos da Divulgação Científica, do Museu da Vida/Fiocruz, retoma marcos conceituais e históricos dos dois campos, apontando uma série de convergências e divergências entre eles. Além disso, apresenta evidências sugerindo um descompasso entre as teorias e as práticas em ambas as áreas, convidando jornalistas, divulgadores e os demais interessados na discussão a uma reflexão mais crítica e ao mesmo tempo mais construtiva sobre o jornalismo, a divulgação e seus pontos de encontro e desencontro. Confira o texto, na íntegra, em: <https://bit.ly/3Hv1D27>. 

 

4. Pensamento crítico e movimento antivacina  A diminuição na intenção de se vacinar pode estar associada, entre outros aspectos, a crenças em teorias da conspiração que, geralmente, formam a base dos argumentos utilizados por adeptos do movimento antivacina. Para os pesquisadores De Melo, Broietti e Salvi, a promoção do pensamento crítico ajuda a mitigar essas crenças, mas a prática tem limites e deve ser associada à percepção da complexidade dos problemas sociais. No artigo “Análise do discurso de uma publicação ‘antivacina’ no youtube e algumas reflexões para a educação em ciências”, publicado na revista Alexandria, os cientistas examinam um vídeo antivacina por meio da análise de discurso orientada por Maingueneau. Eles apontam o caráter ideológico e a busca pela singularidade no discurso, além da negação da ciência, e argumentam que os comportamentos antivacina são complexos e ligados “à personalidade e à orientação pessoal dos sujeitos, mais do que a estilos cognitivos”. Leia o texto completo em: <https://bit.ly/3GuDJT8>. 

 

Ações  

 

5. Pesquisa busca informações sobre educadores museais – Entender melhor quem são as/os/es educadores/as/us museais do Brasil, suas práticas profissionais e seus desafios é o objetivo da pesquisa de doutorado de Karlla Kamylla Passos dos Santos, intitulada “Educação Museal e Feminismos no Brasil: silenciamentos, estranhamentos e diálogos a partir de um olhar interseccional e decolonial”, que está sendo realizada no curso de Museologia da Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias de Portugal. Para tanto, a doutoranda está coletando informações por meio de um questionário (disponível em: <https://forms.gle/75tiB57R5DbesdnC9>), que leva cerca de 15 minutos para ser preenchido e ficará disponível até 25 de fevereiro. Os interessados em conhecer os resultados ou esclarecer alguma dúvida podem enviar e-mail para <Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.>. 

 

6. Compartilhando experiências em divulgação da ciência – O projeto de pesquisa internacional GlobalSCAPE convida divulgadores científicos de todo o mundo a compartilhar suas experiências profissionais, que serão usadas tanto para pesquisa acadêmica quanto para basear ações globais com o intuito de aperfeiçoar a prática da divulgação da ciência. O primeiro passo é responder a um pequeno questionário; depois os participantes serão convidados a integrar uma breve pesquisa quinzenal de cerca de cinco minutos sobre os desafios e inspirações que encontrarem ao longo de 12 meses. Os participantes da pesquisa podem se qualificar para ganhar vouchers eletrônicos no valor máximo de 500 euros por pessoa. Para saber mais, acesse: <https://bit.ly/3GpNrGx>. 

 

Eventos  

 

7. Convite para celebrar e trocar ideias – A Fiocruz irá comemorar a participação de mulheres e meninas na ciência com programação virtual aberta ao público. O evento terá participação de estudantes e pesquisadoras em entrevistas, lives, debates e rodas de conversa, que serão transmitidos pelo canal do VideoSaúde no YouTube (https://bit.ly/3onDXoO), de 11/2 – Dia Internacional das Mulheres e Meninas na Ciência – a 8/3, Dia Internacional da Mulher. Confira a programação em: <https://bit.ly/3gkwnHg>.  

 

8. Chamada de trabalhos para evento alemão – A conferência Forum Wissenschaftskommunikation deve acontecer presencialmente em Hannover, Alemanha, de 4 a 6 de outubro de 2022. O evento é anual e nesta edição tem como tema “Moldando a transformação – Divulgação científica para uma sociedade em mudança”. As propostas podem ser enviadas até 5 de março. Mais informações: <https://bit.ly/3rpatJi>. 

 

Oportunidades  

 

9. Jornalismo ambiental por indígenas – A Earth Journalism Network oferece bolsas a jornalistas indígenas para apoiar a produção de reportagens que chamem atenção para justiça climática, biodiversidade, ecossistemas sustentáveis e outras questões relacionadas às comunidades indígenas. Os candidatos podem ser de qualquer país e devem fornecer detalhes sobre suas filiações indígenas. Mais informações em: <https://bit.ly/3HtzRDd>. 

 

10. Dossiê enfocará desinformação em ciência e saúde  A revista Reciis busca artigos para compor o dossiê “Perspectivas multidisciplinares sobre desinformação em ciência e saúde”, a ser publicado até junho de 2022. Estratégias de combate à desinformação científica em saúde é um dos tópicos de interesse da coletânea. As propostas devem ser enviadas até 3 de março. Mais informações em: <https://bit.ly/32ZJPgO>. 

 

11. Chamada de artigos sobre jornalismo científico – Até 31 de agosto de 2022, a revista Journalism Studies recebe trabalhos sobre os papéis, as funções, as práticas e os impactos do jornalismo científico, no contexto Sul do globo. São aceitos artigos com resultados de pesquisas e/ou perspectivas teóricas relacionadas ao estado atual e às trajetórias potenciais da relação multifacetada entre ciência, jornalismo e desenvolvimento no Sul Global. Confira a chamada em: <https://bit.ly/34As7Rv>. 

 

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

 

Ciência & Sociedade é o informativo eletrônico do Núcleo de Estudos da Divulgação Científica do Museu da Vida (Casa de Oswaldo Cruz/Fiocruz). Editores de Ciência & Sociedade: Marina Ramalho e Carla Almeida. Redatores: Luís Amorim e Rosicler Neves. Projeto gráfico: Barbara Mello. Informações, sugestões, comentários, críticas etc. são bem-vindos pelo endereço eletrônico <Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.>. Para se inscrever ou cancelar sua assinatura do Ciência & Sociedade, envie um e-mail para <Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.>. 

Link para o site Invivo
link para o site do explorador mirim
link para o site brasiliana

funcionamento: Estamos fechados devido à pandemia. Siga-nos nas redes sociais!

Fiocruz, Av. Brasil, 4365 - Manguinhos, Rio de Janeiro| CEP: 21040-900

Copyright © Museu da vida | Casa de Oswaldo Cruz | Fiocruz

museudavida@fiocruz.br

Assessoria de imprensa: divulgacao@coc.fiocruz.br.

conheça