Ir para o conteúdo
No dia 25 de abril, segunda-feira, rolou a etapa das entrevistas para o projeto de divulgação científica do Museu da Vida! Confira a lista de jovens que foram selecionados para essa fase realizada na sala de vídeo da Biblioteca da sede do Museu.

Horário de 9h

Elielton Morais Sousa
Jonatan Peixoto de Castro
Julie Gomes de Santana
Juliane Cristina Florencio de Araújo
Paulo César Rodrigues Melo Filho
Vitória Cristina Florencio de Araújo
Ygor da Costa Sampaio

Horário de 10h30

Allan Lopes de Alcantara de Souza
Arthur Gresik de Araújo
Cláudio da Conceição Junior
Letícia Kécia da Silva Soares
Jorge Paulo Batista da Conceição
Nathália de Souza Lima Garrido
Rebeca Alves Ferreira

Atenção: chegue com 15 minutos de antecedência! Ao chegar, procure por Rosicler Neves ou Renata Fontanetto.

Obrigada a todos que participaram enviando textos e vídeos. Foi demais! Para mais informações, ligue para (21) 3865-2123 ou envie um e-mail para Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. .

O Museu está localizado no campus Fiocruz, em Manguinhos, na avenida Brasil, nº 4365. A divulgação dos candidatos selecionados para o projeto sairá neste site até 27 de abril. As atividades começam em 3 de maio, terça-feira, das 8h30 às 12h.

Dezesseis projetos já foram realizados desde 2013 em diferentes setores da instituição.


Desde 2013, várias iniciativas socioculturais já foram realizadas na Fiocruz por meio de parcerias feitas com o uso da Lei Municipal de Incentivo à Cultura do Rio de Janeiro (ISS). No dia 14 de abril, no auditório do Museu da Vida, o evento “Saúde e Cultura – parceria que dá certo” celebrou a realização dessas iniciativas. O encontro, aberto ao público, contou com a apresentação do bloco Céu na Terra, às 10h.

O número de projetos viabilizados cresceu de três, em 2013, para 16 neste ano. Um exemplo é a ação “Contando histórias e renovando esperanças”, realizada no Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira (IFF), que promove espaços de cultura, educação e lazer para as famílias e pacientes que frequentam o hospital.

No Museu da Vida, a exposição "Manguinhos Revelado" é mais um exemplo dessas iniciativas. Com um conjunto de fotografias produzidas na primeira metade do século XX, a expo mostra práticas de institucionalização da microbiologia no Brasil e aspectos do desenvolvimento das atividades científicas no campo da saúde pública pelo país.




Publicado em 13 de abril de 2016

A primeira etapa de seleção ocorreu entre os dias 6 e 17 de abril.



Para participar do processo seletivo, é preciso preencher um formulário e enviar um vídeo ;)
O Museu da Vida vai realizar uma série de atividades de divulgação científica sobre um tema da ciência que ainda vai dar muito o que falar: biologia sintética! Várias atividades serão desenvolvidas com estudantes de ensino médio e, por isso, vamos selecionar cinco jovens que estejam entre o 1º e 3º anos do ensino médio de escolas públicas estaduais de Manguinhos e arredores para atuarem como bolsistas do MV. A seleção inclui o preenchimento de um formulário pela internet até o dia 17 de abril, envio de um vídeo por e-mail e entrevistas presenciais no dia 25 de abril.

Entre os meses de maio e novembro, essa turma vai ajudar a produzir vídeos para o YouTube do Museu, terá contato com cientistas, educadores e profissionais de divulgação científica, além de contribuir para outras atividades que vão rolar durante este ano. Haverá uma bolsa-auxílio para cada participante ao longo do projeto.

Aí você pergunta: mas o que é biologia sintética? Acredite: ainda há bastante a se discutir sobre o assunto e há várias definições. Essa área está crescendo no Brasil e em outros países. Por aqui, já vemos contribuições importantes nas áreas de saúde, alimentos e energia. Muitos consideram que a biologia sintética é uma nova abordagem da engenharia genética, ou seja, um momento em que novas ferramentas, técnicas e conceitos estão surgindo para que seja possível modificar o material genético de um microrganismo, como bactérias e leveduras.

Para participar, é preciso ter disponibilidade nas manhãs de terça, quarta e quinta-feira, entre 8h30 e 12h. Se você curte projetos animados e gosta da ideia de trabalhar com vídeos, clique aqui, preencha o formulário até 17 de abril e participe do processo seletivo. Fique de olho nas seguintes datas:

Prazo para envio do formulário e do vídeo: até 17 de abril
Divulgação dos candidatos selecionados na primeira etapa: até 20 de abril
Entrevistas: 25 de abril, na sede do Museu da Vida, que fica dentro do campus Fiocruz, em Manguinhos, na avenida Brasil, número 4.365
Divulgação dos candidatos aprovados: Até dia 27 de abril
Início das atividades: 3 de maio, terça-feira

Acesse o formulário aqui: https://docs.google.com/forms/d/1qkWHIimEI0pRA_4yFolmDilS_ZLohwexMjJ_hEWupyQ/viewform?c=0&w=1.

Todas as etapas serão divulgadas no site, Facebook e Twitter do Museu da Vida. Para mais informações, ligue para (21) 3865-2123, envie um e-mail para Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. ou mande uma mensagem pelo Facebook do Museu (/museudavida). Vem porque esse projeto vai ser irado!

Publicado em 06 de abril de 2016


Nosso caminhão da ciência levou atividades à quadra do Colégio Municipal Alvorada.


Se você curte ilusões de óptica, não deixe de conferir esse módulo durante a visita! (Foto: Ciência Móvel)
A cidade de Natividade, a 330 quilômetros da capital fluminense, recebeu o caminhão do Ciência Móvel entre os dias 30 de março e 2 de abril. O público pode participar de jogos interativos e experimentos dedicados à divulgação científica, descobrindo a ciência em diversos momentos do dia a dia. Entre as atrações, estiveram por lá a cadeira giratória, o planetário digital, o girotec, a bancada de microscopia, o jogo das vacinas, entre outras!

Nessas atividades, o público teve a chance de mergulhar no universo de vários campos da ciência, como a biologia e a astronomia. Nosso caminhão estará estacionado na quadra do Colégio Municipal Alvorada, na rua Vigário João Batista, número 4, no Centro.

Fruto de parceria com a Fundação Cecierj e Bio-Manguinhos, da Fiocruz, o Ciência Móvel tem patrocínio da Sanofi e da IBM, além de apoio do CNPq, por meio do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI).

Atualizado em 02 de abril de 2016


Se você já ouviu alguém comparando o cérebro humano a uma máquina, saiba que não é à toa: ele coordena um montão de funções no nosso corpo! Quer descobrir quais? Venha curtir nossa programação!



Desde a hora em que acordamos até o momento em que estamos dormindo, o cérebro não para de trabalhar, recebendo informações, fazendo conexões, coordenando funções no corpo... ele está ali na ativa 24 horas por dia! Por isso, para mantê-lo tinindo e em boa forma, temos que instigá-lo e zelar pelas saúdes corporal e mental!

De 19 a 23 de março, a programação do ´Celebrando o cérebro 2016´, que integra a VII Semana do Cérebro, animou o Museu da Vida. Em 2016, o tema foi: mente sã num corpo são! Confira o que rolou:

Contadores de Histórias do Museu da Vida

19 de março, às 11h, na Tenda da Ciência

Os contadores misturam fantasia, literatura, ciência e saúde a partir de histórias envolventes e divertidas.

Oficina de brinquedos com sucatas

19 de março, às 14h, no Epidauro
Para público de cinco a dez anos

Você acha que brincar e construir o seu brinquedo faz bem para a sua saúde física e mental? Então, venha participar de nossa oficina! A partir do poema "Quadrilha da sujeira", de Ricardo Azevedo, vamos conversar sobre o lixo, o brincar, a nossa saúde e a saúde do planeta. Descubra o quanto você pode se divertir ao produzir o seu próprio brinquedo e ao cuidar do planeta.

Microcefalia e Zika vírus: como podemos, unidos, transformar essa realidade?

19 de março, das 10h às 16h
22 de março, às 9h, 10h30, 13h30, 15h
23 de março, às 9h, 10h30, 13h30, 15h
Local: Pirâmide do Parque da Ciência

O que é um vírus? O que um vírus pode fazer ao nosso cérebro? O que a sociedade pode fazer coletivamente na luta pela saúde para todos? Convidamos você para conversar sobre essas questões no Parque da Ciência!

Trilha ‘Ativando o Cérebro’

22 de março, às 9h e 15h, na saída do Centro de Recepção
Para público a partir de 12 anos

Uma caminhada lúdica e interpretativa que busca despertar junto ao público visitante um maior respeito à natureza e à consciência ambiental. Caminhar, além de fazer bem ao corpo, faz bem à mente, ativando o cérebro e seus circuitos, reduzindo os riscos relacionados à perda de memória e falta de atenção, entre outros fatores. Você está pronto para ativar seu cérebro e suas emoções nesta caminhada?

Cérebro leitor

19 de março, às 13h30, 14h20 e 15h10
23 de março, às 9h e 13h30
Local: Castelo Mourisco
Para público a partir de 12 anos

Se você gosta de manter seu cérebro em forma, que tal fazer isso com a aventura da leitura? Os versos de um poema e a leitura instigante dos livros, por exemplo, melhoram as atividades do cérebro e a conectividade de ideias. Com a leitura, nosso cérebro também turbina as emoções!

Aventuras da visão

19 de março, às 10h e 15h
22 de março, às 9h e 15h
23 de março, às 9h e 13h30
Para público a partir de dez anos

Você já comparou ou ouviu alguém comparar o cérebro humano a uma máquina? Não é à toa, porque, afinal, ele é o órgão responsável por comandar todos os movimentos do corpo. Nesta atividade, você irá ativar áreas do cérebro ao explorar os módulos interativos.

A ótica do cérebro

22 de março, às 10h30
23 de março, às 10h30 e 13h30
Para público a partir de dez anos
Local: Câmara escura (Parque da Ciência)

Nossa percepção visual se inicia assim que o olho foca a luz em nossa retina. Dali até a sensação de visão que ocorre no cérebro, as informações visuais são, primeiramente, absorvidas por uma camada de células fotorreceptoras para, depois, serem transformadas em sinais eletroquímicos que serão enviados ao cérebro para serem interpretados. Junte-se a nós para desvendar como nosso sistema visual processa as imagens e qual a importância do cérebro nesse processo instigante!

Curumim quer música

22 de março, às 10h30 e 13h30, no Epidauro
Para público de seis a oito anos

O espetáculo conta a história do indiozinho Ynhire, que, ao acordar muito feliz e querendo ouvir os sons e a música da floresta, percebe que a mata está em silêncio. Ele parte em busca do som perdido e acaba encontrando personagens do folclore brasileiro, como o boitatá, o saci e o curupira. A função de cada um deles é apresentar ao público um instrumento musical confeccionado com material reciclado. Com cada instrumento, o público explora as propriedades do som (localização espacial, amplificação, timbre, tom e ritmo).

A caminhada dos Bichos

23 de março, às 15h, na Tenda da Ciência
Para público de cinco a sete anos

Essa atividade recorre a elementos de dança para explorar as diversas formas de locomoção dos animais, trabalhando, de forma lúdica, a percepção corporal e o desenvolvimento de habilidades psicomotoras e de criação.

Pintando o Cérebro - colorindo cérebros e neurônios

23 de março, às 9h e 15h, no Epidauro

A partir de moldes de gesso de minicérebros - que aqui no Museu chamamos de picolés de cérebros! -, você poderá pintar o seu próprio modelo, utilizando toda a sua criatividade e identificando as regiões cerebrais.

Capacete do cérebro

23 de março, às 9h e 15h, no Epidauro
Para público a partir de sete anos

Venha conhecer as principais regiões do cérebro e descobrir o que acontece em cada uma delas! Pinte, recorte e monte seu capacete de cérebro, indicando as áreas e as funções relacionadas ao sistema nervoso.

Uma viagem pelo interior do cérebro

19 de março, das 10h às 16h
22 de março, às 9h, 10h30, 13h30 e 15h
23 de março, às 9h, 10h30, 13h30 e 15h
Na Pirâmide do Parque da Ciência

Descubra como é o cérebro por fora e por dentro e compare o cérebro humano com o de outros animais. O que é igual e o que é diferente? Além disso, o público poderá conhecer alguns dos cérebros da coleção do Museu da Patologia, do Instituto Oswaldo Cruz.



Atualizado em 23 de março de 2016

Novos equipamentos estão sendo levados ao público, que pode interagir mais e aprender sobre ciência e tecnologia.




Foto: Ciência Móvel
Falta pouco para o Ciência Móvel completar dez anos - e ele está com gás e energia de sobra! O Colégio Pedro II, campus de São Cristóvão, recebeu o nosso caminhão da ciência entre os dias 15 e 18 de março. A novidade é que novos equipamentos serão levados ao público nas próximas viagens, como uma cadeira gigante, em que é possível sentir o efeito "bailarina": nela, a ideia é tentar controlar com o corpo a velocidade do movimento de rotação.

Em outro espaço, o público pode descobrir a física por trás das roldanas, onde é possível erguer cargas fazendo menos força. Outras atrações são a bancada de microscopia, os modelos anatômicos, os do olho humano, além das câmeras escuras, a exibição de vídeos e o giroscópio.

Em uma década de atividades, foram feitas mais de 100 viagens e atendidas cerca de 700 mil pessoas. Fruto da parceria com a Fundação Cecierj e Bio-Manguinhos, o Ciência Móvel atualmente conta com patrocínio da Sanofi, da IBM e apoio do CNPq/Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI).

Atualizado em 21 de março de 2016


Museu da Vida sedia o I Encontro “Acessibilidade: interfaces e desafios em ambientes de museus”

O evento foi marcado por uma série de palestras abertas ao público, e serviu como espaço de interlocução e de troca de experiências.


O Museu da Vida sediou seu primeiro encontro com o tema “Acessibilidade: interfaces e desafios em ambientes de museus”. O evento, realizado no dia 23 de novembro de 2015, das 9h às 17h, teve como objetivo reunir profissionais e pessoas interessadas para promover reflexão e discussão acerca da acessibilidade em museus. Algumas fotos do evento estão disponíveis no Flickr do Museu da Vida. Além disso, os participantes criaram um espaço de interlocução e de troca de experiências, visando fortalecer uma rede de acessibilidade em museus. Confira o que rolou na programação:

Credenciamento - 9h

Abertura - 9h30
Magali Sá – Vice-diretora de Pesquisa, Educação e Divulgação Científica da Casa de Oswaldo Cruz
Paulo Elian – Diretor da Casa de Oswaldo Cruz
Diego Bevilaqua – Chefe do Museu da Vida
Hilda Gomes – Coordenadora do Serviço de Educação do Museu da Vida

Palestra - 10h às 11h
Acessibilidade universal e plena em museus do Brasil e do mundo
Regina Cohen | Arquiteta, Pós-doutora em Arquitetura e coordenadora do Núcleo Pró-acesso da UFRJ. Foi professora assistente visitante na Universidade de Syracuse, nos EUA

Debate - 11h às 12h

Almoço - 12h às 13h

Relato de Experiências - 14h às 15h30

Atenção: como os três relatos vão acontecer ao mesmo tempo, informe, no ato da inscrição, em qual deles você gostaria de participar por ordem de preferência.

Relato de experiência com mediadora cega
Camila Alves | Psicóloga, educadora do setor educativo do CCBB, mestranda pela Universidade Federal Fluminense em Acessibilidade.

Relato de experiência com mediador surdo
Com representante do Projeto Surdos, da UFRJ, e participação de Bianca Reis, do Serviço de Visitação e Atendimento ao Público do Museu da Vida

Relato de experiência com designer de equipamentos acessíveis
Stella Savelli | Professora especializada em educação de surdos, do Instituto Nacional de Educação de Surdos, designer e, atualmente, coordenadora do projeto “Acessibilidade científico/cultural com e para surdos”, na Seção de Assistência ao Ensino (SAE) do Museu Nacional da UFRJ.

Coffee break - 15h30 às 16h15

Avaliação, entrega de declarações e encerramento - 16h15 às 17h


Para conhecer as iniciativas do Museu na área, acesse as matérias Os museus de ciência e a busca da acessibilidade aos surdos e Ciência acessível: Museu da Vida recebe visitantes surdos.

I Encontro “Acessibilidade: interfaces e desafios em ambientes de museus”
Inscrições: até 6 de novembro
Horário: das 9h às 17h
Local: Museu da Vida, no campus da Fiocruz
Endereço: avenida Brasil, nº 4.365, Manguinhos (próximo à passarela seis)
Para mais informações, envie um e-mail para Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

Atualizado em 14/12/2015

"Território, Memória e Identidade Cultural” foi o tema da quinta edição do evento, realizado em 2015.


Castelo Mourisco - Foto: Acervo da Fiocruz

“Território, Memória e Identidade Cultural” foi o tema da Semana Fluminense do Patrimônio, que iniciou sua quinta edição em 11 de novembro de 2015. O evento promoveu a valorização do patrimônio natural e cultural fluminense e ampliou o conhecimento da população sobre seu patrimônio em suas mais diversas expressões. O Museu da Vida foi uma das diversas instituições envolvidas na Semana e preparou um cardápio de atividades especiais. Confira o que rolou:


Castelo Mourisco

Visita ao Castelo da Fiocruz
Horário: Terça a sexta - 9:00 às 12:00 e 13:30 às 16:30 h / Sábado - 10:00 às 16:00 h
O Castelo da Fundação Oswaldo Cruz, joia da arquitetura eclética brasileira, é a principal edificação do núcleo histórico arquitetônico de Manguinhos e é tombado como patrimônio histórico nacional. Ao visitá-lo, fatos, fotos e documentos históricos que revelam curiosidades de sua construção são contextualizados com o momento histórico, marcado por episódios como a reforma urbana do Rio de Janeiro, a Revolta da Vacina, e por uma série de transformações na saúde pública do Brasil. Neste espaço de visitação do Museu da Vida, o público também pode contemplar a arquitetura em estilo neomourisco, a beleza dos azulejos portugueses e os mosaicos inspirados em tapeçaria árabe do Castelo.

Avental de Histórias
Faixa-etária: de 5 a 8 anos
Horário: Quinta-feira às 15:00 h
Contação de história especialmente criada para o público infantil sobre a personalidade de Oswaldo Cruz e sua ideia de construir o Castelo. A atividade utiliza como recurso um avental artesanal de tecido colorido, que funciona como cenário, com bolsos de onde saem os personagens da narrativa.

Amigos do Castelo
Faixa-etária: de 10 a 14 anos
Horário: Quinta-feira às 9:00 h
Esquete teatral que tem como objetivo aproximar o visitante do patrimônio histórico, a partir de uma proposta de investigação pelos visitantes, utilizando-se de elementos da arquitetura do Castelo Mourisco e de conteúdo de exposições de longa duração com temática da história da saúde no Brasil: "Vida e Obra dos cientistas Oswaldo Cruz e Carlos Chagas". Ao entrar no Castelo, nosso anfitrião do século passado encontra-se com dois jovens. Curiosos sobre a aparição de uma charge em um jornal, os jovens buscam informações para entender o cenário em que ela foi produzida. Na imagem, o sanitarista Oswaldo Cruz aparece desenhado sob o corpo de um mosquito. Ao investigarem as origens da imagem, eles também desvendam a verdadeira identidade do enigmático personagem que os acompanha na visita ao Castelo. A peça ainda tem espaço para um romance e um duelo moderno, no qual, em vez do mais forte, vence o mais sábio.

Detalhe dos vitrais do Castelo Mourisco

Acervo Museológico da Fiocruz
Faixa-etária: a partir de 10 anos
Horário - Terça a sexta: 9:00 às 12:00 e 13:30 às 16:30h / Sábado - 10:00 às 16:00h
O acervo museológico da Fundação Oswaldo Cruz abriga objetos científicos que foram utilizados em diferentes pesquisas desde as origens da instituição há mais de um século e que remontam à atuação de destacados pesquisadores como o próprio Oswaldo Cruz. O público visitante do Museu da Vida terá a oportunidade de descobrir curiosidades sobre alguns desses objetos de diferentes épocas e conhecer um pouco mais sobre a guarda e preservação deste rico patrimônio científico brasileiro.

Coleção Entomológica do Instituto Oswaldo Cruz
Faixa-etária: a partir de 10 anos
Horário - Terça a sexta: 9:00 às 12:00 e 13:30 às 16:30 h / Sábado: 10:00 às 16:00h
É uma das mais ricas da América Latina. Seu início data de 1901, ano em que o próprio Oswaldo Cruz descreveu o mosquito Anopheles lutzi, a primeira espécie nova proposta na instituição quando recém-fundada. O acervo possui aproximadamente 5 milhões de insetos, incluindo exemplares da fauna brasileira, representando quase todas as ordens conhecidas. Parte deste acervo poderá ser contemplada pelo visitante na Sala Costa Lima, onde poderemos conhecer mais sobre a biodiversidade entomológica brasileira e pesquisas realizadas pela instituição há mais de um século nesse campo.


Tenda da Ciência

Contação de História com o tema: Memória, Território e Patrimônio
Faixa-etária: a partir de 5 anos
Horário: Dia 21/11 (sábado) às 11:00h


Centro de Recepção

Mostra Museu da Patologia
Faixa-etária: a partir de 10 anos
Horário: Quarta e quinta (dias 18 e 19) - 9h às 12h e 13:30 às 16:30 h
Parte de um importante patrimônio da ciência e da saúde dos brasileiros, quase dizimado durante o período da ditadura militar, é preservada hoje no Museu da Patologia do Instituto Oswaldo Cruz. Durante a V Semana Fluminense do Patrimônio, o visitante poderá contemplar, no centro de recepção do Museu da vida, uma mostra que apresentará peças anatômicas, objetos e documentos que integram o acervo histórico original dessas que são algumas das coleções biológicas de maior valor histórico mantidas pela Fiocruz.


Áreas abertas do Campus

Caminhada Histórica pelo Campus de Manguinhos
Faixa-etária: a partir de 13 anos
Horário: Quintas e sextas-feiras às 9:00 h / Sábado dia 21/11 às 10:00h
Caminhada por um circuito no campus de Manguinhos onde são apresentadas histórias da trajetória da Fiocruz e de personalidades, transformações e momentos marcantes ao longo de mais de um século da instituição, e a importância de prédios históricos, praças e estátuas que compõem o patrimônio arquitetônico histórico presente no campus em diferentes épocas.

Passeio pelo Caminho de Oswaldo Cruz
Faixa-etária: livre
Horário: Dia 18/11 (quarta-feira) às 9:00 h
Encontro na Praça Pasteur
Durante esse passeio, além de observar diversas espécies de plantas, os participantes conhecem ainda o “Caminho de Oswaldo Cruz”, trajeto importante dentro do campus por onde muitos cientistas de renome já passaram.


A Semana Fluminense do Patrimônio é organizada pela Casa de Oswaldo Cruz (Fiocruz), Fundação Casa de Rui Barbosa, Instituto Estadual do Patrimônio Cultural (Inepac/Secretaria de Estado de Cultura do Rio de Janeiro), Superintendência do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional no Rio de Janeiro (Iphan-RJ), Museu de Astronomia e Ciências Afins (Mast), Museu do Meio Ambiente /Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro e Museu Nacional (MN/UFRJ). Este ano, a SFP conta com as parcerias do Centro Cultural Justiça Federal, do Instituto Federal Fluminense (IFF) e da Prefeitura Municipal de Quissamã, além do patrocínio da Fundação para o Desenvolvimento Científico e Tecnológico em Saúde (Fiotec), do Grupo Libra e da Secretaria de Cultura do Município do Rio de Janeiro.

Veja aqui a programação completa da V Semana Fluminense do Patrimônio.

Atualizada em 24/11/2015

A webconferência teve o tema 'Acessibilidade: interfaces e desafios em ambientes de museus".


O Museu da Vida sediou seu primeiro encontro com o tema “Acessibilidade: interfaces e desafios em ambientes de museus”, no dia 23 de novembro de 2015, das 9h às 17h.

As pessoas que não puderam comparecer ao evento, acompanharam as discussões ao vivo via webconferência, pelo link: http://webconf2.rnp.br/fiocruz_scd

Acesse aqui o tutorial de webconferências. 

Confira aqui a programação completa do encontro.

Caminhão levou atrações itinerantes ao Salão da Ciência em 2015.



Girotech, uma das atividades do Ciência Móvel. Foto de Paulo Colonese
O Ciência Móvel – atração itinerante de ciências do Museu da Vida – desembarcou em Simonésia (MG), levando muita diversão e cultura ao município mineiro nos dias 12 e 13 de novembro de 2015. A iniciativa – incluída na V Mostra Simonesiense de Trabalhos Científicos (V Mosit) – tem como finalidade promover a divulgação científica e da saúde, buscando aproximar a ciência do cotidiano da população, e oferece atividades interativas, lúdicas e divertidas mediadas por monitores especializados e preparados para interagir com públicos de várias idades. Entre elas estão o planetário, o jogo das vacinas, os espelhos sonoros, o Girotech (brinquedo que permite rodar como um astronauta), a bancada de microscopia, os tubos musicais, pilha humana, câmeras escuras, modelos de olho e casa maquete, entre outras.

Para Marcus Soares, coordenador do Ciência Móvel, a iniciativa funciona como um espaço de descoberta e reflexão, e aproxima a ciência do cotidiano dos visitantes. “A bancada de microscopia, por exemplo, é uma atividade dedicada à observação de células humanas, vegetais e detalhes minúsculos de insetos, aranhas e outros animais”, comenta Marcus, contando que a equipe do Museu da Vida transporta toda essa estrutura a bordo de uma carreta de 13,5 metros de comprimento.

O museu itinerante foi montado no Salão da Ciência, podendo ser visitado nos dias 12 e 13, das 8h30 às 12h e das 13h30 às 17h30. O "Ciência Móvel – Vida e saúde para todos", aprovado pela Lei Rouanet (Ministério da Cultura), conta com as parcerias da Fundação Centro de Ciências e Educação Superior a Distância do Estado do Rio de Janeiro (Cecierj) e de Bio-Manguinhos e o patrocínio da Sanofi e IBM.

SERVIÇO:
Projeto "Ciência Móvel – Vida e saúde para todos" em Simonésia
Data: 12 e 13 de novembro
Preço: Entrada franca
Local: Rua Monsenhor José Paulo Araújo, Simonésia – Minas Gerais

Publicada em 09/11/2015


LEGENDA DA FOTO:
Girotech, uma das atividades do Ciência Móvel. Foto de Paulo Colonese
Link para o site Invivo
link para o site do explorador mirim
link para o site brasiliana

funcionamento terça a sexta-feira: 9-16h30, sábados: 10h-16h

agendamento de visitas 55 21 2590-6747

Fiocruz, Av. Brasil, 4365 - Manguinhos, Rio de Janeiro| CEP: 21040-900

Copyright © Museu da vida | Casa de Oswaldo Cruz | Fiocruz

museudavida@fiocruz.br

Assessoria de imprensa: divulgacao@coc.fiocruz.br.

O Museu da Vida faz parte de:

abcmc astc redpop ecsite icom

Amigos do Museu da Vida: uma rede de Saúde, ciência e cultura

patrocínio master

ibm Johnson & Johnson Nova Rio conheça