Ir para o conteúdo

Já reparou como a internet tem um papel central nos dias de hoje? Ela reforça processos comunicativos já existentes, ao mesmo tempo em que novos protagonistas passam a atuar nas redes e criar novas formas de interação. E, claro, ciência tem tudo a ver com isso. O potencial e a evolução dos blogs brasileiros na comunicação da ciência motivaram uma pesquisa que buscou caracterizá-los por meio de um mapeamento extensivo, reunindo informações sobre quantidade de acessos e conexões com outros blogs, sites e redes sociais. E mais: esse estudo mostra como os blogs se articulam com formas alternativas de avaliar o impacto dos artigos científicos publicados em revistas especializadas. O biólogo José Antônio Dias da Silva, autor do trabalho, conversou com o Museu da Vida sobre o assunto – que foi alvo de sua dissertação de mestrado. A seguir, você confere a entrevista, que inaugura a série “Conta aí, mestre”, com participação dos recém-formados no curso de mestrado em Divulgação da Ciência, Tecnologia e Saúde, parceria entre a Casa de Oswaldo Cruz (COC/Fiocruz), o Jardim Botânico do Rio de Janeiro, o Mast, a Fundação Cecierj e a UFRJ. 

MV: Quais as principais características da blogosfera científica brasileira?
José Antônio:
Ela foi fundada por uma geração de universitários muito engajada com as questões da ciência e assim tem permanecido até os dias atuais. Contudo, ela parece se desenvolver à parte dos meios formais de comunicação científica na atualidade e tem servido, essencialmente, como repositório pessoal e coletivo de conteúdos e meio de difusão de informações entre pares.

MV: Como se dá a relação entre a blogosfera e as redes sociais digitais no campo da divulgação científica?
José Antônio:
Os blogs perderam terreno a partir do final da década passada, em função de plataformas como o Facebook, o Twitter e outras mídias sociais, que requerem menos tempo, esforço e dedicação para disseminar ideias ou opiniões. Por outro lado, não é raro ver blogueiros de ciência usando normalmente as redes sociais para chamar atenção para seu blog. A associação dos blogs com as novas mídias sociais tem ajudado blogueiros a amplificar os resultados de suas publicações, aumentando sua visibilidade e alcançando públicos até então considerados leigos em assuntos de ciência.

MV: O que é a Altmetric e por que é importante o aumento da quantidade de blogs científicos nacionais sendo mapeados por ela?
José Antônio:
A Altmetric foi uma das pioneiras e talvez seja a empresa mais conhecida no mercado de ferramentas de métricas alternativas na atualidade. Ela gera o seu próprio indicador da atenção online da produção acadêmica. Para isso, rastreia menções de produtos acadêmicos em páginas de redes sociais, jornais, revistas, documentos de políticas públicas, blogs, Wikipedia e gestores de referência bibliográfica, como Mendeley, entre outras fontes. Assim, quando um blog publica postagens que incluem a citação de artigos científicos usando identificadores persistentes (como o DOI, por exemplo), está contribuindo para que esses artigos sejam vistos, acompanhados e avaliados pelo sistema de métricas alternativas. 

MV: De que modo o leitor que se informa sobre ciência em blogs e redes sociais digitais pode se precaver das fakenews?
José Antônio:
Normalmente, a quantidade de visualizações é usada como um indicador da medida do alcance e da popularidade de um veículo informativo. Porém, sabemos que postagens sensacionalistas ou conteúdos pseudocientíficos são muito atrativos na rede, gerando um número imenso de visualizações, curtidas e compartilhamentos. Para se informar sobre ciência em blogs e mídias sociais digitais e se precaver de notícias falsas, é importante verificar se as publicações desses veículos são fundamentadas em artigos científicos revisados por pares ou se são acompanhadas e avaliadas por ferramentas de métricas alternativas.

José Antônio Dias da Silva é autor da dissertação “Blogues científicos nacionais e a sua atuação na interface entre a academia e a sociedade”, defendida em 13 de julho de 2018, com orientação do pesquisador Fábio Castro Gouveia.

Link para o site Invivo
link para o site do explorador mirim
link para o site brasiliana

funcionamento terça a sexta-feira: 9-16h30, sábados: 10h-16h

agendamento de visitas 55 21 2590-6747

Fiocruz, Av. Brasil, 4365 - Manguinhos, Rio de Janeiro| CEP: 21040-900

Copyright © Museu da vida | Casa de Oswaldo Cruz | Fiocruz

museudavida@fiocruz.br

Assessoria de imprensa: divulgacao@coc.fiocruz.br.

O Museu da Vida faz parte de:

abcmc astc redpop ecsite icom

Amigos do Museu da Vida: uma rede de Saúde, ciência e cultura

patrocínio master

ibm Nova Rio conheça