Ir para o conteúdo

Por Edmilson Barcellos da Rocha, educador do Museu da Vida

Crédito: "Ocean", Jopaha. Licença: CC BY-ND 2.0 | Link para a licença: mla.bs/824526ff

Se um ser extraterreste de algum ponto do espaço observasse o nosso planeta, é bem possível que o chamasse de planeta Oceano e não de planeta Terra. Isso porque mais de 70% da superfície terrestre é coberta por água.

A Organização das Nações Unidas (ONU) escolheu o dia 8 de junho para comemorar o Dia Mundial dos Oceanos, cujo tema, em 2021, é “O Oceano: Vida e meios de subsistência”. Este é um bom momento para refletirmos sobre o importante papel que eles desempenham na vida cotidiana. Mas será que temos mesmo o que comemorar?

O oceano é a morada da maior parte da biodiversidade do mundo, uma importante fonte de remédios e produz ao menos 50% do oxigênio atmosférico. É ele, portanto, o verdadeiro pulmão do nosso planeta. Mais de um bilhão de pessoas em todo o mundo tem no oceano a sua principal fonte de proteína e estima-se que, até 2030, cerca de 40 milhões de pessoas estarão empregadas em indústrias relacionadas aos mares.

Por incrível que pareça, apesar de todos os seus benefícios, o oceano precisa imensamente de nossa ajuda. A ação predatória da humanidade durante décadas produziu consequências desastrosas. Alguns exemplos são o esgotamento de 90% das populações de grandes peixes - como o atum - e a destruição de 50% dos recifes de coral. Estamos tirando mais do oceano do que ele pode repor. Nunca é demais lembrar: extinção é para sempre!

O que fazer diante desse desafio?

Para proteger e preservar o nosso oceano e tudo o que ele sustenta e representa, precisamos criar um verdadeiro equilíbrio, baseado na compreensão dos limites do meio oceânico e na maneira como a humanidade se relaciona com ele. Devemos, portanto,  construir uma conexão que seja inclusiva, inovadora e que considere as  “lições do passado”.

Este Dia Mundial dos Oceanos tem uma dupla função. Além de discutir o tema do ano já mencionado, ele nos convoca a participar ativamente de uma década de desafios para alcançar o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 14 da ONU até 2030 - “Conservar e usar de forma sustentável os oceanos, mares e recursos marinhos ”.

O ano de 2021 abre a Década das Nações Unidas da Ciência dos Oceanos para o Desenvolvimento Sustentável, que ocorrerá até 2030. Esse período busca fortalecer a cooperação internacional para desenvolver a pesquisa científica e tecnologias inovadoras que podem conectar a ciência dos oceanos com as necessidades da sociedade.

Muitos desafios nos esperam. Se quisermos que as futuras gerações tenham a oportunidade de vivenciar a plenitude dos oceanos, precisamos passar o mais rápido possível da constatação para a ação. Portanto, mãos à obra!

 

Publicado em 8 de junho de 2021

Link para o site Invivo
link para o site do explorador mirim
link para o site brasiliana

funcionamento: Estamos fechados devido à pandemia. Siga-nos nas redes sociais!

Fiocruz, Av. Brasil, 4365 - Manguinhos, Rio de Janeiro| CEP: 21040-900

Copyright © Museu da vida | Casa de Oswaldo Cruz | Fiocruz

museudavida@fiocruz.br

Assessoria de imprensa: divulgacao@coc.fiocruz.br.

O Museu da Vida faz parte de:

abcmc astc redpop ecsite icom

Amigos do Museu da Vida: uma rede de Saúde, ciência e cultura

Ternium Johnson & Johnson ibm conheça