Ir para o conteúdo

Neste informe:

1. Divulgação científica baseada em evidências
2. Uma análise da cobertura jornalística sobre aborto na epidemia de Zika
3. Livro aborda pesquisa em educação de ciência na América Latina
4. Seminário discute pesquisa em divulgação da ciência
5. Curso gratuito em cinema, ficção e divulgação científica
6. Fiocruz lança curso de Comunicação em Saúde
7. Gerenciamento de coleções museais em debate
8. Dossiê abordará tema Comunicação e Meio Ambiente
9. Chamada de artigo: divulgação científica no México e na América Ibérica
10. Conferência CAP 2020 aguarda propostas

 

1. Divulgação científica baseada em evidências – Não é de hoje que entusiastas da divulgação científica argumentam que o objetivo dessas atividades deve ir além de tornar o conhecimento científico mais acessível ao público amplo – não que essa meta, por si só, já não seja um grande desafio! Mas com as grandes expectativas em torno da divulgação da ciência no século 21, torna-se cada vez mais importante que esse campo seja mais auto-reflexivo e comprovadamente eficaz. Por isso, no texto “Evidence-Based Science Communication”, publicado em janeiro na revista Frontiers in Communication, os autores Eric Jensen e Alexander Gerber, atuantes tanto na vertente prática como acadêmica da divulgação cientifica, argumentam que essas ações devem ser mais embasadas em evidências científicas. Eles listam os principais desafios da interface entre pesquisa e prática nesse campo e enumeram 12 pré-requisitos para guiar o que seria a divulgação científica baseada em evidências. Os próprios autores, no entanto, fazem ressalvas importantes: o que deve ser considerado como uma prática eficaz de divulgação científica pode variar dependendo dos contextos institucional, local e cultural; e a própria definição de uma boa evidência científica requer uma elaboração mais profunda. Ainda assim, enfatizam que a pesquisa em divulgação científica deve fornecer dados relevantes e precisos para embasar os profissionais da prática. E que, favoráveis ou não à proposta do artigo, profissionais e acadêmicos precisam estar abertos ao debate. Leia gratuitamente, em inglês, em: <https://bit.ly/2TwC09u>.

 

2. Uma análise da cobertura jornalística sobre aborto na epidemia de Zika – Em janeiro de 2015, uma virose ainda sem nome começava a se disseminar pelo Brasil. Em abril do mesmo ano, foi anunciado tratar-se do vírus Zika, que àquela altura já havia se tornado um problema de saúde pública, com ampla repercussão social. A partir de uma metodologia qualitativa, o artigo “Discursos sobre o aborto na epidemia de Zika: análise da cobertura dos jornais O Globo e Folha de S. Paulo” recém-publicado no Cadernos de Saúde Pública, analisou 43 notícias sobre Zika/microcefalia/aborto publicadas pelo jornal carioca e o paulista entre novembro de 2015 e dezembro de 2016. Os autores identificaram as fontes presentes na cobertura e analisaram seus argumentos. Foi constatado que ambos jornais privilegiaram fontes especializadas – médicos na Folha de S. Paulo e advogados e juristas em O Globo – e silenciaram as vozes de mulheres diretamente afetadas. Quanto à argumentação, as fontes favoráveis ao direito ao aborto em caso de Zika denunciaram, sobretudo, as injustiças sociais, enquanto as contrárias à proposta utilizaram o discurso em defesa da vida. Os autores realizaram ainda uma comparação de seus dados com os de outros estudos, chegando à conclusão de que a cobertura da grande imprensa sobre o tema desempenhou um papel relevante na reconfiguração do discurso midiático, caracterizada por um enfoque mais técnico, pela pluralidade de vozes e posicionamentos, e por maior espaço reservado a argumentos favoráveis baseados em princípios constitucionais. Artigo disponível em: <https://bit.ly/39ui4L6>.

 

3. Livro aborda pesquisa em educação de ciência na América Latina – A pesquisa sobre educação em ciência – formal e não-formal – realizada na América Latina ganhou recentemente um volume da série “World of Science Education”, da editora norte-americana Brill. Escrita em inglês e com quase 600 páginas, a obra Science Education Research in Latin America busca dar visibilidade aos trabalhos acadêmicos feitos na região, oferecendo, em 23 artigos, uma perspectiva diferenciada sobre tópicos como: ensino e aprendizagem em ciência; análise de discurso e argumentação na educação em ciência; filosofia e sociologia da ciência na educação em ciência; e educação em ciência em espaços não-formais. Inserido nesse último tópico está o artigo “Science Education Research in Science and Technology Museums in Brazil”, de Martha Marandino e Guaracira Gouvêa. Ao traçar uma visão geral sobre pesquisa em educação em museus, o artigo busca caracterizar algumas das perspectivas teóricas e metodológicas sobre o assunto desenvolvidas por pesquisadores brasileiros. O preço da obra, porém, é bem salgado e pouco acessível para leitores latino-americanos: sua versão mais barata custa 69 euros (ou 83 dólares) no site da editora. Veja mais detalhes sobre o livro em: <https://bit.ly/2TutBn2>.

 

4. Seminário discute pesquisa em divulgação científica – A quarta edição do seminário "A ciência da divulgação científica” acontece na próxima 2ª-feira, 9 de março, na Tenda da Ciência do Museu da Vida, das 9h às 17h. O evento contará com as palestras “The Emergence of Modern Science Communication”, de Toss Gascoigne, do Centre for Public Awareness of Science - Australian National University (Austrália) e "Movies, Fiction, and Science Communication”, de David Kirby, diretor do Science Technology & Society Program, Cal Poly (Estados Unidos). Já as mesas-redondas, que reunirão pesquisadores nacionais e internacionais, abordarão os temas "Pesquisa e prática em Divulgação Científica" e "Controvérsias na ciência". O seminário marca o início do período letivo do Mestrado em Divulgação da Ciência, Tecnologia e Saúde e da Especialização em Divulgação e Popularização da Ciência, ambos da Casa de Oswaldo Cruz/Fiocruz. O evento é gratuito, não requer inscrição prévia e contará com tradução simultânea. A Tenda da Ciência fica no campus da Fiocruz em Manguinhos, na Av. Brasil, 4.365, Rio de Janeiro. Confira a programação completa em: <https://bit.ly/2uW0Gjr>.

 

5. Curso gratuito em cinema, ficção e divulgação científica – Após sua participação no seminário "A ciência da divulgação científica IV” (vide nota anterior), o pesquisador David Kirby, diretor do Science Technology & Society Program, Cal Poly (Estados Unidos) ministrará o curso de curta duração "Movies, Fiction, and Science Communication", no dia 10 de março, das 9h às 17h. Gratuito e aberto ao público em geral, o curso é organizado pelo Mestrado de Divulgação da Ciência, Tecnologia e Saúde (Casa de Oswaldo Cruz / Fiocruz) e Instituto Nacional de Comunicação Pública da Ciência e Tecnologia. Em suas pesquisas, Kirby investiga como as histórias contadas sobre ciência nos filmes, na televisão e em games afetam a construção de percepções sobre a ciência como força social, cultural e política. Autor do livro Lab Coats in Hollywood, o pesquisador usa abordagens dos estudos sociais da ciência e estudos de mídia para analisar as influências do audiovisual na produção de conhecimento e nos significados culturais da ciência, o papel da ciência na narrativa moderna e as colaborações entre cientistas e cineastas, entre outros temas. O curso, que será ministrado em inglês, acontece no Salão de Conferências do Centro de Documentação em História da Saúde (CDHS), que fica no campus da Fiocruz em Manguinhos, na Av. Brasil, 4.365, Rio de Janeiro. Não é necessária inscrição prévia. Saiba mais sobre David Kirby em: <http://davidakirby.com/page5.htm>.

 

6. Fiocruz lança curso de Comunicação em Saúde – A comunicação é um tema transversal em saúde e relevante em contextos variados. No campo da saúde pública, é considerada estratégica. Ciente da importância de programas de formação na área, a Fiocruz Brasília acaba de lançar o “Curso de Especialização em Comunicação em Saúde: fundamentos, práticas, agendas e desafios”. A proposta é fomentar o aperfeiçoamento profissional por meio da reflexão teórica relacionada aos desafios contemporâneos em comunicação em saúde. O curso, com carga horária de 370h, é estruturado em sete módulos que abordam teorias de comunicação, metodologia de pesquisa, conceitos de práticas de saúde, divulgação científica, conceitos de comunicação em saúde e da saúde nas mídias. É destinado a profissionais de comunicação social ou áreas afins e a profissionais de saúde. Para se inscrever, os interessados devem reunir formulário eletrônico de inscrição (disponível na plataforma <http://www.sigals.fiocruz.br>) impresso e assinado; curriculum vitae atualizado; carta de intenção com, no máximo, uma lauda; e cópia do CPF e RG. Os documentos devem ser entregues até 11 de março em envelope lacrado, na Secretaria Acadêmica-SECAD da EFG/Gereb/Fiocruz, localizada na Avenida L3 Norte, Campus Universitário Darcy Ribeiro, Gleba A, SC 4, Brasília/DF, das 8h às 12h e das 13h às 17h. Candidatos que optarem pelo envio da documentação pelo correio devem utilizar o serviço SEDEX 10, com data de postagem até 11 de março, e encaminhar a mesma documentação digitalizada para o e-mail <Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.>.Saiba mais em: <www.fiocruzbrasilia.fiocruz.br>.

 

7. Gerenciamento de coleções museais em debate – Após a tragédia do incêndio no Museu Nacional, ocorrido em setembro de 2018, a equipe do museu vem planejando os novos espaços que irão abrigar os itens que estão sendo incorporados ao seu acervo como resultado de pesquisas e doações. É neste contexto que será realizado no próximo dia 11 de março o Seminário “Planejamento dos espaços de guarda de coleções em museus: Sustentabilidade, Conservação e Segurança”, coordenado pelo Museu Nacional-UFRJ, com apoio do British Council e parceria com o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) e Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Rio de Janeiro (CAU-RJ). Voltado para gestores da área de patrimônio, diretores, gestores e profissionais de museus, o Seminário pretende promover um debate em torno dos eixos: construção de espaços e sustentabilidade, preservação, conservação e segurança geral. A programação do evento contará com a realização de quatro mesas-redondas e terá lugar no auditório do Conselho de Arquitetura e Urbanismo, no Rio de Janeiro. Interessados em participar devem enviar nome, e-mail e instituição para o endereço <seminario@museus.gov.br>. A programação completa está disponível em: <https://bit.ly/2Tp9Uht>.


8. Dossiê abordará tema Comunicação e Meio Ambiente – Pesquisadores e pesquisadoras têm até 22 de março para submeter artigos para este novo dossiê da Revista Eletrônica de Comunicação, Informação e Inovação em Saúde-RECIIS, a ser publicado em junho de 2020. Na chamada, os editores defendem que “as investigações sobre questões ambientais vêm assumindo relevância cada vez maior, sobretudo no que diz respeito ao caráter sistêmico e global das mais diversas problemáticas”. Assim, dizem eles, a complexidade do tema traz um caráter interdisciplinar e multidimensional, o que impõe novos desafios às investigações na área. Serão privilegiados artigos em 15 diferentes tópicos, entre eles, a compreensão pública de questões ambientais; as controvérsias em torno de questões ambientais em contextos locais, nacionais e globais; e a produção científica sobre meio ambiente e sociedade. A lista completa e mais informações estão disponíveis na página da revista: <https://bit.ly/38s9hbc>.

 

9. Chamada de artigo: divulgação científica no México e na América Ibérica – A Revista Mexicana de Comunicación, publicada pela Universidad Autónoma Metropolitana (México), abriu convocatória para sua próxima edição, que terá como tema “Comunicación de la ciencia y periodismo del conocimiento en México e Iberoamérica”. O número especial pretende documentar e refletir sobre posições teóricas e casos concretos da divulgação científica por meio de artigos de revisão, ensaios críticos, entrevistas e resenhas. Entre os temas de interesse da edição estão: Comunicação pública de ciência e tecnologia por meio de mídias analógicas tradicionais e novas mídias digitais, considerando novas plataformas e ferramentas; Comunicação do conhecimento e disseminação da ciência através de atividades interativas, museus, zoológicos, planetários e jardins botânicos; Comunicação do conhecimento a partir do local onde é gerado, como universidades, centros de pesquisa, empresas, hospitais, entre outros; Experiências em torno de programas acadêmicos de graduação e pós-graduação no campo da comunicação e disseminação de ciências, bem como em conferências nacionais e internacionais sobre o assunto e no desenvolvimento de publicações e livros; e Comunicação entre cientistas e de cientistas para a sociedade. As propostas, escritas em espanhol, devem ser enviadas até 10 de abril para os e-mails: <Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.> e <Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.>. Veja a convocatória e confira as regras de publicação em: <https://bit.ly/2VDAdCh>.

 

10. Conferência CAP 2020 aguarda propostas – Você realiza ou investiga atividades de divulgação científica sobre astronomia? Estuda estrelas, planetas e o espaço? Curte ficar acordado até tarde para observar os incríveis corpos celestes? Então, se ligue, a conferência “Communicating Astronomy with the Public (CAP 2020), maior e mais importante evento de divulgação da astronomia, que será realizado de 21 a 25 de setembro na Macquarie University (Sidney), está com inscrições abertas até 15 de março. Pensado para divulgadores da ciência, profissionais de planetários e centros e museus de ciência, educadores, jornalistas, astrônomos profissionais e amadores, a CAP 2020 configura-se como um rico espaço para troca de ideias e reflexões. Com o tema “Communicating Astronomy for a better world: environment, culture and peace”, os organizadores estimulam o envio de propostas de trabalho sobre desafios da divulgação científica na área; exemplos de práticas bem sucedidas; inclusão, diversidade, equidade e empatia na divulgação da astronomia; o papel das mídias na divulgação; uso de ambientes e tecnologias para o engajamento público; divulgação da astronomia para promover a paz; o papel da divulgação da astronomia para aproximar diferentes culturas; e a divulgação da astronomia na Região Ásia-Pacífico. Interessados devem enviar resumo em inglês, por meio de formulário on-line para as modalidades oral, pôster e workshop. A taxa de inscrição de 500 dólares (até 31 de maio) não é moleza para qualquer terráqueo. Mas a União Astronômica Internacional irá oferecer subsídios ou isenção da taxa para participantes selecionados de todo o mundo. Para concorrer, é necessário justificar o pedido em outro formulário on-line até 15 de março, após envio da proposta. Saiba mais em: <https://bit.ly/2TpQyZz>.

 

--------------------------------------------------------------------------------------------------
 
Ciência & Sociedade é o informativo eletrônico do Núcleo de Estudos da Divulgação Científica do Museu da Vida (Casa de Oswaldo Cruz/Fiocruz). Editores de Ciência & Sociedade: Marina Ramalho e Carla Almeida. Redatores: Luís Amorim e Rosicler Neves. Projeto gráfico: Luis Cláudio Calvert. Informações, sugestões, comentários, críticas etc. são bem-vindos pelo endereço eletrônico <Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.>. Para se inscrever ou cancelar sua assinatura do Ciência & Sociedade, envie um e-mail para <Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.>.

 

Link para o site Invivo
link para o site do explorador mirim
link para o site brasiliana

funcionamento terça a sexta-feira: 9-16h30, sábados: 10h-16h

agendamento de visitas 55 21 3865-2138

Fiocruz, Av. Brasil, 4365 - Manguinhos, Rio de Janeiro| CEP: 21040-900

Copyright © Museu da vida | Casa de Oswaldo Cruz | Fiocruz

museudavida@fiocruz.br

Assessoria de imprensa: divulgacao@coc.fiocruz.br.

O Museu da Vida faz parte de:

abcmc astc redpop ecsite icom

Amigos do Museu da Vida: uma rede de Saúde, ciência e cultura

Johnson & Johnson ibm conheça