Ir para o conteúdo

Cinco jovens apaixonados por rap, encontros para bater um papo sobre ciência e uma missão: fazer músicas de rap sobre temas científicos relacionados à saúde pública a partir desses encontros. Essa é a proposta do Rap e ciência, projeto que vem sendo realizado desde novembro de 2018. Agora, é chegada a hora de lançar a primeira música do projeto: InsetRima. Nesta criação, a proposta era pensar sobre a relação entre saneamento básico e arboviroses, doenças como a dengue, zika e chikungunya que têm em comum o vetor que as transmite para seres humanos, o mosquito Aedes aegypti.





Segundo dados da Secretaria de Vigilância em Saúde, em boletim epidemiológico divulgado em 9 de julho de 2019, entre 30 de dezembro de 2018 e 30 de junho deste ano, já havia mais de 1,2 milhões de casos prováveis de dengue no país. "No mesmo período de 2018, foram registrados 183.829 casos prováveis", indica o relatório. Ou seja, um crescimento de 597,3% em comparação ao ano anterior. 

Ouça a música no Soundcloud do Museu da Vida.

Confira a letra da música.

Conheça os integrantes do projeto.

Acesse, também, o álbum do projeto no Flickr do Museu da Vida.

Mesmo no período fora do verão, manter hábitos de prevenção é extremamente importante. No país, a campanha "Dez minutos contra o Aedes" busca mobilizar a população para eliminar possíveis lugares em que o Aedes se prolifera. Dez minutos na semana são suficientes para checar, por exemplo, água parada em vasos de planta, pneus e recipientes descobertos e outros espaços que podem acumular água, principalmente água de chuva. 

Na letra da música, os artistas fizeram questão de colocar em evidência que moradores de favelas e de regiões com alta vulnerabilidade social podem sofrer ainda mais com esse contexto, por muitas vezes ficarem desassistidos em relação a serviços de saneamento básico, como tratamento de esgoto e coleta de lixo. Em Manguinhos, local onde a Fiocruz está inserida, é recorrente ouvir de moradores que, em chuvas muito fortes, diversas ruas das favelas do Complexo de Manguinhos alagam. Como um verso da música diz: "Vish! Dia de chuva, esgoto sobe. Aedes faz a festa em poça que não se move".  A geógrafa Rejany Ferreira, uma das pessoas que conversou com o Rap e ciência para esta música, já soltou o verbo no artigo "Enchentes! Falta planejamento", cuja leitura recomendamos fortemente.

O Ministério da Saúde mantém uma página especial na web para falar sobre arboviroses. E ele reforça: "O período do verão é o mais propício à proliferação do mosquito Aedes aegypti, por causa das chuvas, e consequentemente é a época de maior risco de infecção por essas doenças. No entanto, a recomendação é não descuidar nenhum dia do ano e manter todas as posturas possíveis em ação para prevenir focos em qualquer época do ano". Isso vale também para a denúncia de focos do mosquito! "Quando o foco do mosquito Aedes aegypti é detectado e não pode ser eliminado pelos moradores ou pela população, como em terrenos baldios ou lixos acumulados na rua, a Secretaria Municipal de Saúde deve ser acionada para remover os possíveis focos/criadouros", alerta. Por isso, converse com familiares, vizinhos e amigos. Converse, também, com Agentes Comunitários de Saúde que visitam a sua região. Em se tratando do controle do Aedes aegypti, todos devem fazer sua parte - nós e as instâncias governamentais.

Artistas e suas letras (por ordem de aparição): Elaiô Vavío, Lucas Chaga$, Helen Nzinga e Xandy MC. 

Agradecimentos

Alexandre Pessoa, engenheiro civil com ênfase em engenharia sanitária. Professor convidado da Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca e da Escola Politécnica em Saúde Joaquim Venâncio (EPSJV), ambas da Fiocruz.

Instituto D'Or de Pesquisa e Ensino

Cooperação Social da Fiocruz

Miguel Oliveira, biólogo do Museu da Vida
 

Contatos da coordenação executiva
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

(Rap e ciência é um projeto financiado pelo Hackaton da Divulgação Científica em Saúde, um projeto da Vice-Presidência de Educação, Informação e Comunicação da Fiocruz, e conta com o apoio do Museu da Vida/Casa de Oswaldo Cruz)

Publicado em 17/7/2019.

Link para o site Invivo
link para o site do explorador mirim
link para o site brasiliana

funcionamento terça a sexta-feira: 9-16h30, sábados: 10h-16h

agendamento de visitas 55 21 2590-6747

Fiocruz, Av. Brasil, 4365 - Manguinhos, Rio de Janeiro| CEP: 21040-900

Copyright © Museu da vida | Casa de Oswaldo Cruz | Fiocruz

museudavida@fiocruz.br

Assessoria de imprensa: divulgacao@coc.fiocruz.br.

O Museu da Vida faz parte de:

abcmc astc redpop ecsite icom

Amigos do Museu da Vida: uma rede de Saúde, ciência e cultura

patrocínio master

ibm Johnson & Johnson Nova Rio conheça