Ir para o conteúdo

Compartilhe

Facebook Twitter Imprimir
Como foi a busca da sociedade brasileira por melhores condições de saúde desde o Brasil colônia? Como a área da saúde se desenvolveu no país desde os tempos do império? Quais os momentos cruciais em nossa história que garantiram avanço significativo na atenção à saúde da população? Em cartaz no Centro de Recepção do Museu da Vida, a exposição Na corda Bamba de sombrinha: a saúde no fio da história procura responder essas e outras perguntas, mostrando como o campo da saúde se relaciona intimamente com a política, a economia e a cultura do país. A visitação é gratuita.

Em painéis ilustrados com fotografias, reproduções de quadros e publicações relacionadas ao tema, a mostra parte do contexto do Brasil imperial, em que as pessoas recebiam tratamento em casa, e traça a história de como o atendimento médico foi se modificando até chegar aos dias de hoje, passando, por exemplo, pela criação do Sistema Único de Saúde (SUS) no final da década de 1980. O uso medicinal de plantas brasileiras, as campanhas sanitárias no Rio de Janeiro no início do século 20 – com posterior expansão para o interior do país – e o surgimento do Programa Nacional de Imunizações são alguns dos temas abordados.

O título Na corda bamba de sombrinha é uma referência à música de Aldir Blanc e João Bosco, imortalizada na voz de Elis Regina. Ela se refere a um contexto histórico de luta pela democracia e fortalecimento do movimento sanitário, no qual se inseriu a criação do SUS.

Na corda bamba de sombrinha, sob a curadoria de Luis Octavio Gomes de Souza e Carlos Fidelis Ponte, contou com apoio da Organização Pan-americana de Saúde e faz parte de um projeto maior que inclui um livro homônimo, um vídeo documentário sobre trabalho e formação em saúde – dirigido por Ialê Falleiros e Júlio César França Lima – e o encarte Cantos, contos e imagens: puxando mais uns fios nessa história, que contém sugestões de como abordar o tema a partir da literatura, das imagens, do cinema e da música. O projeto foi organizado pelas equipes do Observatório de História e Saúde / Casa de Oswaldo Cruz e do Observatório dos Técnicos em Saúde / Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio.
Link para o site Invivo
link para o site do explorador mirim
link para o site brasiliana

funcionamento terça a sexta-feira: 9-16h30, sábados: 10h-16h

agendamento de visitas (0xx21) 25906747

Fiocruz, Av. Brasil, 4365 - Manguinhos, Rio de Janeiro| CEP: 21045-900

Copyright © Museu da vida | Casa de Oswaldo Cruz | Fiocruz

museudavida@fiocruz.br

O Museu da Vida faz parte de:

abcmc astc redpop ecsite icom

Amigos do Museu da Vida: uma rede de Saúde, ciência e cultura

patrocínio master

ibm dataprev conheça