Ir para o conteúdo

Compartilhe

Facebook Twitter Imprimir
A programação para a 14ª Semana Nacional de Museus e o aniversário de 17 anos do MV foi imperdível! A semana, coordenada pelo Instituto Brasileiro de Museus, teve como tema “Museus e Paisagens Culturais”. A partir de 16 de maio 2016, 1.236 museus e instituições culturais pelo Brasil participaram da Semana! A programação das outras instituições pode ser conferida no site da instituição. No Museu da Vida, as atrações iniciaram às 14h do dia 16, no auditório do museu.

Os dançarinos do passinho estão representados em Sharingrafia, que ficará no Centro de Recepção. (Foto: Maria Buzanovsky)
Mesa de Abertura: Museus e paisagens culturais
16 de maio, das 14h às 16h, no Auditório do Museu da Vida

A mesa de abertura foi transmitida on-line. Clique aqui para ver as explicações para assistir e participar da mesa por meio do link http://webconf2.rnp.br/fiocruz_scd.

Bruno Brulon, departamento de museologia da Unirio | “O Museu predador: culturas coletadas e paisagens compartilhadas”

Marcela Sanches, doutoranda em museologia da Unirio | “Entrelaçando fios antigos e novos entre o Museu da Vida e seu território”

Alessandro Batista, coordenador do Serviço de Visitação e Atendimento ao Público do Museu da Vida | "Relação do Museu da Vida com a vida cultural de Manguinhos e Maré"

Exposição “Sharingrafia”, de Maria Buzanovsky
De 16 a 21 de maio, no Centro de Recepção

Os dançarinos do passinho são as estrelas da exposição ‘Sharingrafia’, a primeira mostra dedicada exclusivamente ao maior movimento jovem das favelas que traz camisetas com 15 imagens da fotógrafa Maria Buzanovsky. Ela já expôs em Lyon (França) e no Museu de Arte do Rio (MAR).

Exposição "Manguinhos - Território em Transe"
Dias 17 e 18 de maio, na Unirio, no Espaço Cultural do Centro de Ciências Humanas e Sociais (avenida Pasteur, n0 458, Urca)

21 de maio, no Centro de Recepção do Museu da Vida

O projeto "Manguinhos - Território em Transe" teve início em 2011 com a elaboração de uma pesquisa histórica sobre a favela de Manguinhos, abordando suas relações com a história da cidade do Rio de Janeiro. Contou, para isso, com a participação decisiva de moradores locais por meio da história oral. A pesquisa resultou nesta expo itinerante, que circula por diferentes espaços da própria favela e em escolas, universidades, igrejas, movimentos sociais e outros locais.

Exposição “Isso é o Fim do Mundo!”
De 16 a 21 de maio, no Salão de exposições temporárias
Classificação etária: a partir de dez anos

O fim está próximo? O que você pensa sobre o fim do mundo? Existem sinais do fim dos tempos? Na exposição, o visitante mergulhará nesse misto de elucidações e dúvidas, sob três pontos de vista: científico, simbólico e humano. A expo "Isso é o fim do mundo!" fica em cartaz até 28/5.

Mesa-redonda “Paisagens Naturais e Culturais do Brasil”
19 de maio, das 9h30 às 12h, no auditório do Museu da Vida | Serão oferecidas 80 vagas. As inscrições devem ser feitas pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. até 7 de maio. Haverá entrega de declaração para os participantes

Venha debater as possibilidades de trabalhar o tema da sociodiversidade nos biomas brasileiros em escolas e ecomuseus! Teremos como palestrantes a bióloga Luciana Alvarenga, do Museu da Vida, que fará uma breve apresentação sobre a diversidade de paisagens naturais e culturais brasileiras por meio de narrativas descritivas e audiovisuais; Anápuáka Muniz Tupinambá, da etnia Tupinambá e Pataxó Hãhãhãe, formado em gestão e marketing, é comunicador e fundador da rádio indígena on-line Yandê. Ele vai falar sobre como a rádio atua na área da educação fazendo a ponte entre a cultura tradicional indígena e cultura digital. Samira Lima da Costa, da UFRJ, discutirá modos de ensino e aprendizagem a partir de sua experiência com comunidades tradicionais, baseando-se na concepção de circularidade na educação. Já Sandra Benites, da etnia Guarani Nhandewa, professora de língua Guarani e mestranda em antropologia social no Museu Nacional, falará acerca da importância do ensino sobre a vida e a cultura indígena no Brasil. 

A expo "Isso é o fim do mundo!" fica em cartaz até 28/5. (Foto: Luciana Alvarenga)
Apresentação dos Imperadores da Dança
21 de maio, a partir das 13h, no anfiteatro do Centro de Recepção

Como parte integrante da cultura carioca, o funk será representado por um dos grupos pioneiros da dança do passinho, com a participação de MC Isaque, William Severo e outros convidados.

Visita ao prédio histórico da Cavalariça
20 de maio, às 10h30 e 13h30
Classificação etária: a partir de dez anos

O passeio é uma incrível oportunidade para você conhecer a história deste edifício centenário da Fundação, restaurado recentemente.

Era uma vez uma floresta em frente ao mar?
18 de maio, na varanda do Castelo Mourisco

Por meio de uma breve história, conheça o processo de ocupação do campus e a modificação de sua paisagem cultural e natural.

A atividade será oferecida em função da demanda de público, sem horários pré-definidos. Informe-se no dia, no Centro de Recepção, ou ligue para (21) 2590-6747.

Caminhada Histórica
19 e 20 de maio, às 9h e 15h, a partir de dez anos

Venha conhecer histórias sobre a Fiocruz, seus cientistas e o patrimônio histórico-cultural de uma das maiores instituições de saúde da América Latina.

Apresentação “Teto Verde”
19 de maio, às 10h30 e 13h30, na sala de vídeo do Museu da Vida

O público confere a apresentação de curta-metragem, seguida de bate-papo sobre projetos ambientais em territórios favelizados.

Apresentação teatral: Manguinhos em Cena
Peça “Sintonia Suburbana”
21 de maio, às 11h, na Tenda da Ciência

A peça “Sintonia Suburbana” é uma comédia melodramática que se baseia em histórias do cotidiano de moradores. O espetáculo é o nome de uma rádio que apresenta programas com casos bizarros da vida normal ou casos normais da vida bizarra, com contos sobre o dia a dia. Tudo isso com muito humor e inteligência!

Bloco Carnavalesco “Inseto Brabo”
21 de maio, às 12h, na Tenda da Ciência

Trata-se de uma iniciativa de músicos, compositores e moradores da favela do Jacarezinho, no Rio de Janeiro.

Contadores de Histórias
Tema: Museus e Paisagens Culturais (dirigido ao público infantil)
21 de maio, às 11h, no Epidauro

Em linguagem de cordel, a peça "O rapaz da rabeca e a moça Rebeca" busca dialogar com o público jovem sobre a importância da camisinha e o preconceito em relação à Aids. (Foto: Maria Buzanovsky)
17º aniversário do Museu da Vida

Girotec (para participar da atividade, a altura mínima é de 1,60m)
20 e 21 de maio, das 10h às 16h, no Parque da Ciência

O girotec é um equipamento que permite brincar e experimentar a sensação de flutuar sem peso no espaço. A experiência é realizada – de modo mais radical! – por astronautas em treinamento na Nasa.

Planetário Digital do Ciência Móvel
21 de maio, às 13h30, 14h15 e 15h, na Tenda da Ciência

O planetário é a mais nova sensação do Ciência Móvel, museu itinerante da Fiocruz. São dois roteiros: “Convivendo com uma estrela” e “As estrelas esquisitas de Júpiter”. Na primeira, a proposta é que se possa observar e descobrir os segredos das estações do ano, além de conhecer algumas constelações que marcam as estações. Já as estrelas esquisitas de Júpiter narram a incrível viagem a Pádua (Itália), nas noites de janeiro do ano de 1610. A partir dela, em pleno século 17, é possível observar e compartilhar o céu com Galileu Galilei, um grande cientista, e descobrir novas estrelas perto de Júpiter.

Peça “O rapaz da rabeca e a moça Rebeca”
20 de maio, às 12h, na Tenda da Ciência
Para maiores de 14 anos

Com uma linguagem popular e divertida, a peça aborda o tema do HIV/Aids, ainda tabu na sociedade, para tentar quebrar o preconceito em relação à doença.

Contação de histórias: ‘Um trem de paisagens...’
21 de maio, às 11h, no Epidauro

“O Mundo inteiro”, de Liz Garton Scanlon
Com Fernanda França e Rodney Wilbert

“O Trenzinho caipira”, de Heitor Villa-Lobo (por Egberto Gismonti)
Com Rodney Wilbert

“A Pedra no caminho”, de Isabella Sá
Com Suzi Aguiar

“Asa Branca”, de Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira
Com Laise Carvalho

“Trem de Alagoas”, de Ascenso Ferreira
Com Alana Ribeiro

“Luar do sertão”, de Catulo da Paixão Cearense e João Pernambuco
Com Laise Carvalho e Contadores

Bate-papo com Antônio Carlos Vieira, pesquisador do Museu da Maré e mestre em memória social pela Unirio
“Construindo a paisagem cultural com nossas histórias”

Para mais informações, ligue para (21) 2590-6747 ou envie uma mensagem pelas redes do museu: Facebook e Twitter. O museu está localizado no campus Fiocruz, na avenida Brasil, nº 4365, em Manguinhos. O horário de funcionamento é das 9h às 16h30, de terça a sexta-feira, e no sábado, das 10h às 16h, com entrada gratuita.

#PartiuMuseudaVida

legendas:

Os dançarinos do passinho estão representados em Sharingrafia,
que ficará no Centro de Recepção. (Foto: Maria Buzanovsky)
Link para o site Invivo
link para o site do explorador mirim
link para o site brasiliana

funcionamento terça a sexta-feira: 9-16h30, sábados: 10h-16h

agendamento de visitas (0xx21) 25906747

Fiocruz, Av. Brasil, 4365 - Manguinhos, Rio de Janeiro| CEP: 21045-900

Copyright © Museu da vida | Casa de Oswaldo Cruz | Fiocruz

museudavida@fiocruz.br

O Museu da Vida faz parte de:

abcmc astc redpop ecsite icom

Amigos do Museu da Vida: uma rede de Saúde, ciência e cultura

patrocínio master

ibm dataprev conheça