Ir para o conteúdo

Por Julianne Gouveia e Melissa Cannabrava

 

Durante a 19ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT), o Museu da Vida Fiocruz abre suas portas ao público também para o primeiro Festival de Cultura Popular Brasileira. O evento gratuito e aberto acontece no campus Manguinhos da Fundação Oswaldo Cruz, entre os dias 18 e 21 de outubro, com atrações de música, dança e gastronomia. A programação completa está disponível no site da SNCT na Fiocruz.

Os encontros do Festival de Cultura Popular Brasileira vão funcionar como o braço cultural da SNCT 2022 na Fiocruz. Eles vão celebrar festas populares que acontecem em regiões distintas do país, aproveitando a oportunidade para dialogar com temas científicos. Mais de cinco mil pessoas são esperadas no campus Manguinhos da Fundação Oswaldo Cruz.

O Centro de Recepção e a Tenda da Ciência do Museu da Vida Fiocruz serão os grandes palcos do festival. Festas típicas brasileiras, de diferentes regiões, serão homenageadas ao longo de quatro dias. Entre as atrações confirmadas, estão o tradicional Jongo da Serrinha, o grupo Razões Africanas e apresentações com recursos de tecnologia assistiva do espetáculo ‘Cidadela’. Estão programadas também performances e outras atividades, como o ‘Ciência com Pipoca’, com exibição da série ‘Invasores’, e um passeio pela área externa do antigo Pombal da Fiocruz.

Para quem ama lembrancinhas e petiscos saborosos, uma feira de artesanato e gastronomia idealizada e liderada por moradores de favelas do Rio também faz parte da programação.

 

Sobre o Festival de Cultura Popular Brasileira

O Festival de Cultura Popular Brasileira nasceu a partir de experiências prévias de eventos culturais no campus Manguinhos. A partir de uma avaliação de público sobre o evento do Grito de Carnaval de 2018, realizada pelo Núcleo de Estudos de Público e Avaliação em Museus (Nepam/Museu da Vida), o Museu da Vida Fiocruz identificou um interesse dos participantes por ações relativas a temas de viés cultural do carnaval e o fortalecimento da discussão sobre mulheres na ciência.

Com o Festival de Cultura Popular Brasileira, o Museu da Vida Fiocruz pretende oferecer um evento sobre cultura popular de forma mais ampliada e atingir outros grupos, como o público escolar, já que, de terça a sexta, o espaço recebe, majoritariamente, alunos e professores de escolas públicas e particulares.

Localizado na Fundação Oswaldo Cruz, no campus situado no bairro de Manguinhos, na Zona Norte do Rio de Janeiro, o Museu da Vida Fiocruz fica próximo aos complexos de favelas da Maré e do Alemão. O museu é um dos poucos aparelhos culturais dessa região de alta vulnerabilidade social, com acesso garantido a todas as classes sociais.

O Festival de Cultura Popular Brasileira e o Museu da Vida Fiocruz têm como patrocinadores máster Santander, Abbott e Enauta. A iniciativa também conta com o patrocínio da EDF Norte Fluminense, Supergásbras, Bayer, Dataprev, Technip FMC, White Martins, S&P Global, Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro e copatrocínio de Concremat e Fresenius.

 

Programação completa:

 

Dança / performance:

Zia: Missão do mundo invisível
Quando: 18, 19, 20 e 21/10, às 9h
Onde: Tenda da Ciência Virgínia Schall

A performance traz a história de Zia, uma menina do futuro que vive no espaço e é guardiã do mundo invisível. Ao receber um chamado dos vigilantes terráqueos, ela descobre que está rolando um problemão no mundo invisível: as doenças que estavam desaparecidas ameaçam voltar. Sabendo que uma forma de impedir essa ameaça é a vacinação, Zia decide partir imediatamente em uma viagem no tempo e no espaço até o planeta Terra para um lugar chamado Brasil. Lá, ela irá realizar uma importante missão de alertar o mais rápido possível os habitantes sobre o risco que estão correndo, e contá-los sobre o poder da vacinação. Ao chegar no Brasil, a menina se depara com obstáculos do presente que tentam impedi-la de cumprir sua missão.


Espetáculo: Ballet Manguinhos
Quando: 19/10, às 15h
Onde: Tenda da Ciência Virgínia Schall

Em performance especial para o Festival de Cultura Popular Brasileira, o Ballet Manguinhos apresenta uma mostra de dança com coreografias da Companhia Jovem Ballet Manguinhos. No repertório, estão balé clássico e dança contemporânea com músicas de Elza Soares.


Espetáculo: Rio de Todos os Ritmos
Onde: 20/10, às 15h
Onde: Tenda da Ciência Virgínia Schall

O espetáculo conta um pouco da história das danças de salão cariocas, do seu surgimento com o maxixe até os dias de hoje e todas as influências musicais e culturais sofridas e suas transformações.

 

Música:

Cortejo: Oficina da Rua
Quando: 18 e 19/10, às 9h30, 11h30, 13h15 e 15h15
Onde: Campus Fiocruz Manguinhos

O grupo Oficina da Rua faz um verdadeiro arrastão de carnaval no campus Fiocruz Manguinhos, com tudo que tem direito: marchinhas, pernaltas e muito samba!


Show: Razões Africanas
Quando: 18/10, às 12h
Onde: Centro de Recepção

Sob o comando de Dely Monteiro e Lazir Sinval, descendentes diretas das famílias jongueiras tradicionais de Madureira, o jongo aparece como o grande anfitrião dos outros ritmos afro-brasileiros como o samba, o côco, o ijexá, a ciranda, o maracatu e o afoxé. Toda essa gama cultural misturada dá origem ao musical, que além de ressaltar e fomentar a cultura de matriz africana é uma homenagem aos 60 anos do Jongo da Serrinha e aos 21 do grupo Razões Africanas. O grupo interpreta jongos de composição própria e sambas de Zeca Pagodinho, Dona Ivone Lara, Délcio Carvalho, entre outros. 


Show: Jongo da Serrinha
Quando: 18/10, às 15h
Onde: Centro de Recepção

'Vida ao Jongo' conta a história do ritmo que deu origem ao samba, tombado em 2005 pelo IPHAN como primeiro Patrimônio Imaterial do sudeste. Tido como “o pai do samba”, o jongo é uma herança cultural dos negros Bantus, trazidos para o trabalho forçado nas fazendas de café do vale do Paraíba, no início do século XVIII. Sua história se mistura com a da cidade, do surgimento das primeiras favelas e do samba.


Show: Trio Trança Vermelha
Quando: 19/10, às 12h
Onde: Centro de Recepção

O Trio Trança Vermelha é um encontro de 3 amigas artistas, musicistas e atrizes. O repertório apresenta clássicos de Luiz Gonzaga, Dominguinhos e outros clássicos do forró. Os arranjos traduzem a força, simplicidade e sutileza dessas 3 mulheres apaixonadas por música brasileira.


Cortejo: Roseira d'Água
Quando: 20/10, às 10h; 21/10, às 10h; 12h e 15h
Onde: Centro de Recepção (saída)

Roseira d’Água é um grupo de brincantes da cultura popular da cidade Niterói (RJ), formado por dançarinos, músicos, arte-educadores e estudiosos das culturas de matrizes ancestrais brasileiras. O coletivo realiza rodas culturais, oficinas de danças com ritmos musicais, tais como Coco de Roda e Ciranda, de Pernambuco, Bumba-meu-boi e Cacuriá, do Maranhão, Carimbó, do Pará, entre outras tradições que compõem a diversidade cultural do nosso país. Para o Festival de Cultura Popular do Museu da Vida, o Roseira d'Água apresenta oficinas de ritmos, brincadeiras interativas e o espetáculo 'Encantos da Roseira', que é um passeio pelas tradições da cultura popular brasileira homenageando os  mestres e seus saberes ancestrais.


Coral Fiocruz
Quando: 20/10, às 12h
Onde: Centro de Recepção

O Coral Fiocruz teve sua estreia na Candelária em comemoração ao centenário da Fundação Osvaldo Cruz. Fundado em 1998, com um CD gravado e um repertório que passeia por um século de mentalidades, concepções e práticas de saúde pública, descritas em músicas ousadas e divertidas, o Coral Fiocruz reúne funcionários de todos os níveis numa grande voz artística representativa da presença marcante da Fundação Oswaldo Cruz na vida acadêmica e cultural da cidade do Rio de Janeiro. Tem os arranjos e a regência de Paulo Malaguti e é coordenado por Maria Clara Barbosa


Teatro:

É o Fim da Picada!
Quando: 18 e 19/10, às 11h e 13h30
Onde: Tenda da Ciência Virgínia Schall

Na peça teatral “É o fim da picada!”, o humor e o improviso são fundamentais. A peça é formada por várias cenas de improviso e diálogo com o público para abordar temas relacionados as doenças Dengue, Zika e Chikungunya.


Cidadela
Quando: 20/10, às 11h e 13h30
Onde: Tenda da Ciência Virgínia Schall

O espetáculo 'Cidadela' é sobre Vem Quem Quer, lugar onde as mulheres só podem falar uma estação por ano, época em que os homens saem. Esse é o ponto de partida da peça, que tem como objetivo provocar a reflexão sobre os papéis sociais impostos ao gênero feminino e sobre a importância das mulheres, seja na família, na educação, na arte, na ciência ou na política.
Atividade com recursos de tecnologia assitiva (audiodescrição e Libras)


Paracelso, o Fenomenal
Onde: 21/10, às 11h e 13h30
Onde: Tenda da Ciência Virgínia Schall

'Paracelso, o Fenomenal' é um espetáculo teatral em que uma dupla cômica realiza um show de ciências. Experimentos científicos são apresentados com muitas doses de humor e com participação ativa do público. Um espetáculo para toda a família.
Atividade com recursos de tecnologia assitiva (audiodescrição e Libras).

 

Audiovisual:

Um passeio pelo Pombal: antigo biotério da Fiocruz
Quando: 18/10, às 11h
Onde: Auditório INCQS

"Um passeio pelo Pombal: antigo biotério da Fiocruz" é um vídeo de sete minutos que narra a história do biotério a partir da caminhada pelo seu percurso. O vídeo possui recurso de Acessibilidade.


Ciência com pipoca: Invasores
Quando: 19/10, às 14h30
Onde: Auditório do Museu da Vida Fiocruz

A websérie faz um curioso paralelo entre os vírus biológicos e os vírus de computador, mostrando a a potência do trabalho em equipe. 'Invasores' é a história de um jogo on-line, disputado por duas equipes e que  traz o tema da vacinação. No dia do campeonato acontecem mudanças na equipe Triovalente. A personagem Cecília, grande fera dos games, está com sarampo. Bárbara entra no seu lugar e ajuda a resolver o grande mistério de um vírus que invade o sistema dos computadores do campeonato. O jogo aborda a responsabilidade de cada um sobre a saúde coletiva e o perigo e impacto das fake news. Há muitas aventuras e consultoria de diversos cientistas, biólogos e infectologistas. 

 

Serviço:

Festival de Cultura Popular Brasileira

Quando: 18 a 21 de outubro

Onde: Museu da Vida Fiocruz (Av. Brasil, 4.365, Manguinhos, Rio de Janeiro – RJ)

Evento gratuito e aberto, sem necessidade de agendamento (sujeito à lotação).

Programação completa: snct.fiocruz.br


Publicado em 12 de outubro de 2022.

Link para o site Invivo
link para o site do explorador mirim
link para o site brasiliana

Funcionamento: de terça a sexta, das 9h às 14h30.

Fiocruz: Av. Brasil, 4365, Manguinhos, Rio de Janeiro. CEP: 21040-900

Contato: museudavida@fiocruz.br

Assessoria de imprensa: divulgacao@fiocruz.br.

Copyright © Museu da vida | Casa de Oswaldo Cruz | Fiocruz

conheça