Ir para o conteúdo

Por Melissa Cannabrava

 

O Museu da Vida Fiocruz convida colaboradores, professores, profissionais da área museal, representantes do território de Manguinhos e o público interessado no universo dos museus para o ciclo temático 'Seminários do Museu da Vida 2022: Por um Museu Inclusivo, Digital e Inovador'. As atividades serão transmitidas ao vivo pelo YouTube do Museu da Vida, sempre às segundas, de 11 de abril a 2 de maio. 

O evento virtual aborda temas relacionados a patrimônio, educação, sustentabilidade e comunicação no contexto da museologia, com a perspectiva de atualização do plano museológico do Museu da Vida para o período de 2022 a 2026. A palestra 'Acervos, Memória e Patrimônio Imaterial' dá inicio à programação, que conta com sete mesas abertas ao público. As palestras têm como objetivo comum aprofundar temas relevantes e estratégicos não apenas para o MV, mas para outras instituições museológicas.

Em entrevista ao site da Casa de Oswaldo Cruz, Héliton Barros, chefe do Museu da Vida, dá detalhes sobre as expectativas acerca do debate com parceiros institucionais e diz que o exercício de escuta e diálogo será fundamental para a definição do lugar ao qual o museu quer chegar nos próximos anos. “Buscamos uma construção coletiva, que dê voz a pluralidade de agentes internos e externos, refletindo seus pensamentos, anseios e interesses na construção da instituição e na fruição de produtos e serviços artísticos, culturais, educativos, informacionais e científicos do Museu da Vida”, destacou.

Os 'Seminários do Museu da Vida 2022: Por um Museu Inclusivo, Digital e Inovador' são uma realização do Museu da Vida, Casa do Museu da Vida da Casa de Oswaldo Cruz (COC/Fiocruz), que conta com a gestão cultural da SPCOC e tem como patrocinadores máster Santander, Abbott e Enauta. A iniciativa também conta com o patrocínio da EDF Norte Fluminense, Supergásbras, Bayer, Dataprev, TechnipFMC, White Martins e copatrocínio de Concremat e Frenesius.

 

Programação completa - Seminários do Museu da Vida 2022: Por um Museu Inclusivo, Digital e Inovador

11 de abril

9h: Acervos, Memória e Patrimônio Imaterial
Convidados: Alice Barboza (Museu da Vida Fiocruz) e Maria Santiago (ICICT/Fiocruz)
Alice Barboza é graduada em Museologia pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), mestra em Ciências Sociais e Humanidades pelo Programa de Pós Graduação em Integração da América Latina (Prolam-USP). Atua no Núcleo Multidimensional de Gestão do Patrimônio e de Documentação em Museus (Nugep) desde 2014, pesquisando sobre musealização do patrimônio imaterial. Atuou como museóloga no Projeto In Situ, pelo Serviço de Museologia do Museu da Vida Fiocruz.
Maria Santiago é graduada em História pela Uerj (2004) e especialista em Preservação e Gestão do Patrimônio Cultural das Ciências e da Saúde (Fiocruz, 2011). Desde 2011, exerce cargo de chefia na Seção de Obras Raras A. Overmeer da Biblioteca de Manguinhos / ICICT / FIOCRUZ. Possui experiência nas áreas de conservação e restauração de acervo em papel, gestão de acervos bibliográficos e segurança de acervos.

14h: Produção e Gestão do Conhecimento
Convidados: Luiza Rocha (Jardim Botânico) e Beth Ponte (ABRAOCS)
Luiza Rocha possui graduação em Museologia - Universidade Estácio de Sá (1985), doutorado e mestrado em Ciência da Informação IBICT-UFF (2008). É pós-doutora em Ciência da Informação pelo IBICT (2012) e professora no Cursos de Especialização em Divulgação da Ciência, da Tecnologia e da Saúde (Museu da Vida/Casa de Oswaldo Cruz/Fiocruz) e em Preservação e Gestão do Patrimônio Cultural das Ciências e da Saúde (Casa de Oswaldo Cruz/Fiocruz).
Beth Ponte é gestora cultural e pesquisadora. Foi German Chancellor Fellow da Fundação Alexander von Humboldt (2018/2019) e pesquisadora convidada do Instituto de Mídia e Gestão Cultural de Hamburgo (KMM Hamburg). De 2010 a 2018 foi Diretora Institucional do Programa NEOJIBA (Núcleos Estaduais de Orquestras Juvenis e Infantis da Bahia). Desde 2013 é membro do Conselho de Administração da Associação Brasileira de Organizações Sociais da Cultura (ABRAOSC).

 

18 de abril

9h: Museus e Itinerância
Convidados: Tânia Margarida (Museu Ponto/UFMG) e Padre Mauro (MUQUIFU)
Tânia Margarida é doutora em Educação Matemática pela PUC/SP, em 2008. Atualmente, é diretora geral da Escola de Educação Básica e Profissional da UFMG, coordenadora institucional do Projeto Residência Docente/CP/EBAP/UFMG, coordenadora de Curso de Graduação Semipresencial - Pedagogia Veredas/UFMG, coordenadora de Curso de Graduação FAE UAB e coordenadora geral do Museu Ponto UFMG. Ocupa o cargo de primeira secretária da Associação Brasileira de Centros de Museus de Ciência (ABCMC).
Mauro Luiz da Silva, o Padre Mauro, é doutor e mestre em Ciências Sociais. Possui especialização em Psicopedagogia e é graduado em Teologia e Filosofia pela PUC Minas, em História e Tutela do Patrimônio Cultural pela Universidade de Pádua/Itália. Atualmente, é diretor e curador do MUQUIFU - Museu dos Quilombos e Favelas Urbanos. É coordenador do Projeto de Pesquisa e Centro de Documentação NegriCidade, que busca resgatar os afro-patrimônios da capital mineira. Tem experiência em Artes Plásticas, Música e Museologia Social. 

14h: Educação no Contexto Museal: Diversidade e Democratização do Acesso
Convidados: Ialê Cardoso (Museu do Futebol) e Hilda Gomes (Museu da Vida)
Ialê Cardoso é graduada em Artes Plásticas pela Faculdade Santa Marcelina (1997). Desde 2011, coordena o Núcleo Educativo do Museu do Futebol, tendo como foco principal a formação e a gestão de equipe interdisciplinar e inter-geracional, além da acessibilidade e inclusão. É responsável pelo Programa de Acessibilidade do Museu do Futebol (PAMF), no qual desenvolve ações educativas e criação de materiais para o público, além de projetos, tal como o premiado projeto Deficiente Residente, Aproximações e o Museu Amigo do Idoso e Revivendo Memórias #EmCasa. 
Hilda Gomes possui Licenciatura em Ciências Biológicas (Faculdades Integradas Maria Thereza, 1982), bacharelado em Biologia Marinha (mesma instituição, 1983) e mestrado em Educação (Universidade Federal Fluminense, 1999).  Atualmente, coordena a Seção de Formação do Serviço de Educação do Museu da Vida. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Metodologias e Prática de pesquisa, principalmente nos seguintes temas: formação de professores, acessibilidade e relações étnico-raciais.

 

25 de abril

9h: Nahm - Museu da Vida, Sustentabilidade e Território
Convidados: Diego Bevilaqua (VDPDC/COC) e Carla Vidal (Gengibre Criativo)
Diego Bevilaqua é doutor em Física pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2002) e pós-doutor pela Harvard University (2005). Desde 2008 é Tecnologista do quadro permanente da Fundação Oswaldo Cruz. Tem experiência na área de Divulgação Científica, atuando principalmente nos seguintes temas: museu de ciência, educação não formal, aplicativos virtuais, interatividade e itinerância.
Carla Vidal estudou História na PUC – SP e se especializou em gestão cultura e planejamento institucional. Tem se dedicado a desenvolver estratégias institucionais e planejamento de comunicação, captação de recursos e sustentabilidade para projetos, programas e instituições da cultura. Atuou nas equipes da Gazeta Mercantil, do Museu da Pessoa e da Expomus. Desde 2018, integra o coletivo de trabalho Gengibre Criativo.

14h: Potencialidades e Desafios da Comunicação e Transformação Digital
Convidados: Arthur Bezerra (IBICT/UFRJ)
Arthur Bezerra é doutor em Ciências Humanas pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), com pós-doutorado também pela UFRJ. Pesquisador Titular do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT/MCTIC), com bolsa de produtividade do CNPq. Professor permanente do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação (PPGCI/IBICT-UFRJ). Vice-representante da América Latina e Caribe no Conselho Consultivo do International Center for Information Ethics (ICIE). 
 

2 de maio

14h: Museus e o Contexto Socioambiental Brasileiro
Convidados: Marlucia Santos (Museu Vivo São Bento) e Cleonice Puggian (UERJ-FEBF)
Marlucia Santos é mestre em História pela Universidade Federal Fluminense (2002). Atualmente é Servidor Público Estadual (RJ) Lotada no Centro de Referência Patrimonial e Histórico de Duque de Caxias (Museu Vivo São Bento) como Coordenadora Geral.  Coordenadora da rede de proteção do conselho gestor da APA São Bento.

Cleonice Puggian é professora da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ-FEBF) e pesquisadora contemplada pelo Programa Jovem Cientista do Nosso Estado (FAPERJ, 2013-2022). É Pedagoga (UERJ, 1998), Mestre em Educação (PUC-Rio, 2001), PhD em Educação (Cambridge, Inglaterra, 2009) e Pós-doutora em Educação (UERJ, 2010). Foi bolsista Fulbright e realizou um Mestrado Sanduíche na Harvard Graduate School of Education e CNN (2000-2001). Lidera o Laboratório de Pesquisa Interdisciplinar em Educação, Natureza e Sociedade (LabPENSo/CNPq), tendo coordenado vários projetos sobre educação e injustiças ambientais na Região Metropolitana do Rio de Janeiro. Integra o corpo docente do Programa de Pós-graduação em Educação, Cultura e Comunicação (PPGECC-UERJ), orientando pesquisas interdisciplinares voltadas à compreensão e enfrentamento das desigualdades educacionais no Brasil. É membro do Fórum dos Atingidos pela Indústria do Petróleo e Petroquímica nas Cercanias da Baía de Guanabara (FAPP-BG) e acompanha o Comitê da Região Hidrográfica da Baía de Guanabara e dos Sistemas Lagunares de Maricá e Jacarepaguá - Subcomitê Oeste.

Saiba mais sobre a atualização do plano museológico para o período de 2022 a 2026.

 

Publicado em 07 de abril de 2022 (atualização em 27 de abril de 2022).

Link para o site Invivo
link para o site do explorador mirim
link para o site brasiliana

Funcionamento: de terça a sexta, das 9h às 14h30.

Fiocruz: Av. Brasil, 4365, Manguinhos, Rio de Janeiro. CEP: 21040-900

Contato: museudavida@fiocruz.br

Assessoria de imprensa: divulgacao@fiocruz.br.

Copyright © Museu da vida | Casa de Oswaldo Cruz | Fiocruz

conheça