Ir para o conteúdo

Aspirador Dieulafoy


Aspirador de fluidos corporais, em metal (aço), vidro e borracha
Inventor: Georges Paul Dieulafoy
Fabricante: Mathieu (França)
Dimensões: 30,0 x 2,7cm (aparelho); 12,0 x 23,0 x 5,0cm (caixa)

O objeto em destaque era usado para aspiração de fluidos corporais, como sangue e muco, para fins terapêuticos e de pesquisa. Criado por volta de 1860, ele representa uma importante etapa no aperfeiçoamento desta técnica.

Constituído por corpo de vidro e metal, êmbolo de borracha e duas torneiras para fixação de tubos, o instrumento funcionava como um sistema mecânico de sucção que permitia quantificar e regular tanto o fluxo de fluidos corporais aspirados quanto os medicamentos injetados no paciente. As torneiras ligavam-se, em suas extremidades, a agulhas e trocartes - instrumento com ponta triangular usado para retirada de líquidos de cavidades do corpo.

Seu inventor, o médico-cirurgião francês Georges Paul Dieulafoy (1839-1911), atuante na pneumologia, idealizou um aparelho capaz de produzir vácuo conectado a uma agulha, que poderia exercer forte sucção sobre qualquer fluido. Este foi o princípio que levou à criação do aspirador, apresentado à Academia de Medicina em 1869, e que, originalmente, foi desenvolvido para auxiliar em terapias pneumáticas, sobretudo nas aspirações de líquidos da pleura – membrana que envolve o pulmão.

Durante sua carreira, Dieulafoy lecionou Patologia Médica no Hôtel-Dieu, hospital vinculado à Faculdade de Medicina de Paris, onde realizou pesquisas sobre pleurisia e apendicite. Foi um dos principais nomes do movimento de renovação da mentalidade médica na França e sua obra mais conhecida foi o Manual de patologia interna, de 1884. A obra de sua autoriaTraité de l’aspiration des liquides morbides, de 1873, foi um dos trabalhos responsáveis pela disseminação dos usos e funções do aspirador pneumático, no qual destacou as técnicas de punção e aspiração de abscessos – acúmulo de líquido nos tecidos.
Georges Dieulafoy, em charge no periódico francês Chanteclair, 1908. Foto: Bibliothèque Interuniversitaire de Santé.

A aplicação do aspirador Dieulafoy não se limitou às terapias pulmonares. Sua utilização abriu portas para estudos na área da patologia e no desenvolvimento de diagnósticos e tratamentos de inúmeras doenças, pois o instrumento permitia a remoção de fluidos para exames clínicos, como também podia ser utilizado continuamente, em tratamentos de doenças que exigiam a remoção permanente de líquidos do corpo. Devido a essas possibilidades, o instrumento foi empregado em diagnósticos e tratamentos de abscessos, derrames articulares, hidrocefalia, cistos ovarianos, retenção urinária, lavagem estomacal e transfusões de sangue braço a braço.

O instrumento faz parte da coleção doada, em 1995, pelo médico fluminense e colecionador Sylvio Lengruber Sertã (1907-2001) ao Museu da Vida, junto a um grande número de aparelhos e instrumentos médicos relacionados, em sua maioria, à ginecologia e à obstetrícia.

Para saber mais:
CATALOGUE COLLIN & Cie. Paris, 1935. Disponível em:http://web2.bium.univ-paris5.fr/livanc/?cote=extaphpin006&do=livre. Acesso em: dez. 2010.
DIEULAFOY, Georges. Traité de l'aspiration des liquides morbides. Paris: Masson, 1873. Disponível em: http://web2.bium.univ-paris5.fr/img/?cote=033802. Acessado em: 27 de abril de 2011.
GAZETA MEDICA DA BAHIA. Aplicação do aspirador nas doenças do estomago e nos envenenamentos, ano VII, n° 155, 15 de janeiro de 1874, p. 173.

Link para o site Invivo
link para o site do explorador mirim
link para o site brasiliana

Funcionamento: de terça a sexta, das 9h às 14h30.

Fiocruz: Av. Brasil, 4365, Manguinhos, Rio de Janeiro. CEP: 21040-900

Contato: museudavida@fiocruz.br

Assessoria de imprensa: divulgacao@fiocruz.br.

Copyright © Museu da vida | Casa de Oswaldo Cruz | Fiocruz

conheça