Ir para o conteúdo
Na programação, documentários e programas de tv sobre a dengue, a evolução e a ciência. 


O cineclube do Museu da Vida teve como destaques de sua programação de maio de 2010 os temas da Dengue e da Evolução, em homenagem ao Ano Internacional da Biodiversidade. Confira abaixo as sessões.
 
Horários da Sessão Conheça a Fiocruz: 10h, 11h, 13h, 14h e 15h
Horários da Sessão Ideias Revoluciónarias: 10h35, 11h35, 13h35, 14h35, 15h35
Local: Sala de Vídeo do Centro de Recepção
 
 
Sessão “Conheça a Fiocruz”:
 
Aedes aegypti e Aedes albopictus - Uma Ameaça aos Trópicos é um documentário produzido pelo Instituto Oswaldo Cruz (IOC) sobre os dois principais transmissores da dengue. É composto de imagens reais e animações dos mosquitos, onde se vê seus continentes de origem e sua dispersão pelo mundo tropical. Além disso, é possível fazer uma viagem pelo interior de um mosquito e conhecer suas características anatômicas gerais, seus hábitos alimentares e de reprodução. Conheça ainda os riscos à saúde e os cuidados que devemos ter para evitar a dengue. (SPTI, Fiocruz, 2009).
Público-alvo: a partir dos 12 anos.                         Duração: 22 minutos.
Para saber mais sobre o filme, clique aqui.
 
O mundo macro e micro do mosquito Aedes aegypti, também produzido pelo Instituto Oswaldo Cruz, traz imagens reais e virtuais que descrevem o ciclo de vida do mosquito. O filme, premiado em diversos concursos internacionais, alerta para a necessidade do controle de criadouros do Aedes aegypti. Venha conhecer os detalhes da vida de um casal de mosquito: como nascem, como crescem, como se desenvolvem, como se reproduzem, etc. (SPTI, Fiocruz, 2006)
Público-alvo: a partir dos 8 anos.                 Duração: 12 minutos
Para saber mais sobre o filme, clique aqui
 
 
Sessão "Ideias Revolucionárias":
 
Fritz Muller: O Príncipe dos Observadores. Muller foi um naturalista e professor de matemática e ciências naturais. Foi pioneiro no apoio factual e um dos primeiros defensores da teoria da evolução apresentada por Charles Darwin. Em 1852, Fritz Müller e sua família se estabeleceram na Colônia Blumenau. Venha conhecer a vida deste cientista, sua passagem pelo Brasil e as contribuições que ele fez à Teoria da Evolução. (Globo Ciência, 2009)
Público alvo: a partir dos 10 anos.                                     Duração: 26 minutos
Para saber mais sobre Fritz Müller, clique aqui.
 
A publicação Centros e Museus de Ciência do Brasil 2009 oferece informações sobre 190 instituições 
 


A ciência está espalhada pelos quatro cantos do Brasil. Ainda que distribuídas de forma bastante desigual, existem centenas de organizações – museus e centros de ciência, zoológicos, jardins botânicos, planetários, aquários – que abordam a ciência e a tecnologia no país. Explorá-las pode ser uma grande aventura, e um verdadeiro “mapa da mina” é a publicação Centros e Museus de Ciência do Brasil 2009, que oferece informações sobre 190 instituições, disponível em PDF.
 
A publicação traz breves dados históricos, acompanhados de informações sobre visitação, acervo e endereços. Na lista, estão instituições de todos os tamanhos, para todos os gostos, com objetivos e públicos distintos. Enquanto na década de 1980 contava-se nos dedos a quantidade destas organizações, hoje, elas somam mais de 200. Conheça um pouco mais sobre elas e, se estiver ao seu alcance, visite-as!
 
O guia – cuja primeira versão foi lançada em 2005 – é editado pela Associação Brasileira de Centros e Museus de Ciência (ABCMC), pela Casa da Ciência (UFRJ) e pelo Museu da Vida (Casa de Oswaldo Cruz/Fiocruz), com apoio do Ministério da Ciência e Tecnologia.
 
Centros e Museus de Ciência do Brasil 2009 tem distribuição gratuita. Para adquirir seu exemplar, entre em contato com o Núcleo de Estudos da Divulgação Científica (Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.) do Museu da Vida ou com a ABCMC (Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.). Clique aqui para baixar a versão em PDF do guia.


 
 
Museóloga conta a história de Oswaldo Cruz para público infantil a partir de um avental colorido.

 
Quem foi Oswaldo Cruz, como era a sua personalidade e por que ele decidiu construir um castelo tão grande e diferente? Quem conta tudo isso com riqueza de detalhes é a museóloga Claudia Oliveira, na atividade “O avental de história”, oferecida a partir de abril de 2010 pelo Museu da Vida, às quartas-feiras. 

Com o objetivo de despertar a curiosidade das crianças pequenas para a vida e a obra do médico e sanitarista Oswaldo Cruz, Claudia criou um roteiro especialmente destinado a esse público e uma forma criativa e instigante de apresentá-lo.
 
Por meio de um avental colorido, com bolsos de onde saem as principais personagens da história – o próprio Oswaldo Cruz, além de ratos, galinha, cavalo e outros –, a museóloga relatava a chegada do cientista à antiga Fazenda Manguinhos e a sua ideia de construir um imponente castelo, em estilo neomourisco, para chamar a atenção da população para a importância da ciência.
 
Segundo Claudia, o interesse das crianças é geral. “Tem a surpresa do avental, já que poucos conhecem esse recurso; dos personagens, que elas ficam esperando sair do bolso como coelhos da cartola; e, no final, surge o Castelo, que fica escondido atrás do avental.”
 
A sessão de contação da história era seguida de uma exibição de fotos históricas da antiga fazenda e de uma conversa mais descontraída com as crianças, que, além de fazerem perguntas, contavam um pouco de suas próprias histórias.
 
A atividade, com duração de cerca de 40 minutos, terminava com uma visita guiada às exposições do Passado e Presente e ao Castelo.
 
Da motivação à execução
 
Mediadora do Museu da Vida e antiga colaboradora da atividade “Contadores de histórias”, Claudia sempre teve muito interesse em narrativas. A inspiração para a atividade com o avental veio do grupo Tapetes Contadores de Histórias, que utiliza trabalho artesanal em tecido.
 
Para a materialização da ideia, a museóloga contou com a ajuda do Serviço de Educação em Ciências e Saúde e do Serviço de Design e Produtos de Divulgação Científica do Museu da Vida,com apoio financeiro da Faperj – dentro do projeto “Ações educativas em ciência e saúde: uma parceria museu-escola para a formação de professores”, coordenado por Luiz Otávio Ferreira.
 
O primeiro passo foi elaborar o roteiro da história foi adequá-lo ao público-alvo da atividade – crianças entre 5 e 8 anos. Depois, foi preciso pensar no design, escolher tecidos que fossem ao mesmo tempo harmônicos e interessantes em termos de cor, fazer os moldes para a costureira montar o avental e, por fim, retocar a pintura dos personagens.
 
“Não tivemos consultoria alguma e contei com a minha costureira que nunca tinha feito qualquer trabalho parecido”, conta Claudia, que, por enquanto, é a única a contar a história.
 
“A atividade é muito recente e acho necessário que haja uma identificação para sua execução, mas a história está aí para qualquer um que quiser contar!” 
 
O avental de história
Local: varanda do 2o andar do Castelo
Público-alvo: crianças de 5 a 8 anos
Limite: 42 crianças
Informações: 2590-6747 / Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
 
Nessa edição, o tema foi o vírus da gripe, formas de cuidado e prevenção.

Histórias e bate-papo sobre gripe, vírus e vacinação. 
 
 
Atchim! Será que é gripe? Não, são os Contadores de Histórias com mais um tema sobre saúde em abril de 2010. Com a chegada do outono e das chuvas, é bom estarmos atentos à nossa saúde, por isso, o tema importante e atual foi sobre a gripe. 
 
Os contadores Bruno, Christopher, Suzi, Marcela e Laise apresentaram para o público histórias curiosas e divertidas.
 
Logo em seguida, aconteceu um bate-papo interessante com o pesquisador do Laboratório de Virologia do IOC Thiago Moreno. Biólogo, doutor em Ciências, Thiago falou sobre vírus, gripes, epidemias, vacinação e outros assuntos muito presentes em nosso cotidiano.
 
Antes e após o evento, o público pôde consultar a Biblioteca Móvel recheada de livros, revistas, jogos e outros materiais sobre o tema.
 
O evento foi gratuito. E os Contadores de Histórias se apresentavam todo terceiro sábado do mês.
 
Confira aqui a programação detalhada!
 
Horário: 11h
Local: Tenda da Ciência
 
Mais informações pelo telefone (21) 2590 6747 ou pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
 
Morre em São Paulo o geneticista Oswaldo Frota-Pessoa 

O geneticista Oswaldo Frota-Pessoa morreu no dia 24 de março de 2010, aos 93 anos de idade, em São Paulo, deixando um legado importantíssimo na história da ciência, da divulgação e educação científica brasileira.
 
Ao longo de sua trajetória profissional, publicou cerca de 150 artigos científicos, 50 sobre ensino e mais de 700 de divulgação científica. Escreveu ainda 37 livros didáticos e 17 guias para professores.
 
Pelo conjunto de sua obra dedicada à popularização e ao ensino de ciências recebeu, em 1981, o Prêmio José Reis de Divulgação Científica, do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), e, um ano depois, o Prêmio Kalinga, da Unesco, maior distinção mundial neste campo.
 
Depoimento
 
O CD-Rom Depoimentos de Divulgadores da Ciência no Brasil, produzido pelo Museu da Vida, traz longa entrevista com Oswaldo Frota-Pessoa, em que o geneticista fala sobre os quase setenta anos que dedicou à pesquisa, ao ensino e à divulgação de ciência, e sobre como esses movimentos estavam fortemente associados no início de sua carreira, na década de 1940.
 
Frota-Pessoa lembra, ainda, de sua colaboração no “Ciência para Todos”, suplemento do jornal A Manhã, que circulou de 1948 a 1953, com uma média de 12 páginas dedicadas exclusivamente a assuntos de ciência. Essa iniciativa marcou, sem dúvida, a história da divulgação científica brasileira.
 
Leia aqui a íntegra da entrevista com Oswaldo Frota-Pessoa, concedida em duas etapas – a primeira, a Bernardo Esteves, Ildeu de Castro Moreira e Luisa Massarani, em agosto de 2002, e, a segunda, a Bernardo Esteves e Carla Almeida, em junho de 2004.

Trajetória profissional
 
Nascido no Rio de Janeiro, em 1917, Oswaldo Frota-Pessoa foi aluno da primeira turma de história natural da Universidade do Distrito Federal (UDF). Em 1938, concluiu o curso na UDF e, três anos mais tarde, formou-se na Faculdade de Medicina da então denominada Universidade do Brasil, hoje Federal do Rio de Janeiro. Ainda em 1941, ingressou no curso de ciências biológicas aplicadas à medicina no Instituto Oswaldo Cruz.
 
A experiência na UDF, criada em 1935 pelo educador Anísio Teixeira como um laboratório para testar a então nova filosofia de ensino norte-americana baseada na aprendizagem pela prática, foi determinante na carreira de Frota-Pessoa. Fruto da nova onda de desenvolvimento do ensino, decidiu dedicar sua vida à pesquisa e à tarefa de disseminar as novas técnicas e metodologias de ensino pelo Brasil.
 
Em 1938, recém-formado em história natural, deu início à carreira de professor no sistema público de ensino do Rio de Janeiro. Paralelamente, começou a ministrar cursos de atualização de professores secundários por todo o país e a escrever livros didáticos. Doutorou-se em história natural na Faculdade Nacional de Filosofia – que substituiu, em 1939, a UDF –, onde também foi professor.
 
Passou um ano na Universidade de Columbia, em Nova York, , em 1953, trabalhando sob a orientação do zoólogo e geneticista russo naturalizado americano Theodosius Dobzhansky. Ainda nos Estados Unidos, trabalhou, em 1955 e 1956, para a Organização dos Estados Americanos (OEA) como especialista em ensino de ciências.
 
Em 1958, ingressou no Departamento de Biologia da Universidade de São Paulo (USP), onde fundou o Laboratório de Genética Humana. Em São Paulo, deu prosseguimento à docência na Faculdade de Filosofia da USP.
 
Membro da Academia Brasileira de Ciências desde 1979, Frota-Pessoa foi, entre 1961 e 1986, consultor em genética humana da Organização Mundial de Saúde (OMS); entre 1968 e 1970, presidente da Sociedade Brasileira de Genética; e, de 1969 a 1971, presidente da Associação Latino-Americana de Genética. 
 
Foi casado com Elisa Frota-Pessoa, pioneira da física experimental de partículas no Brasil e uma das fundadoras, em 1948, do Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF). Com ela, teve dois filhos, a também física Sonia e o médico Roberto. O terceiro filho, Osvaldo Frota-Pessoa Jr., é professor da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da USP.
 
 
Águas, chuvas, enchentes e rios são o tema dessa edição do evento. 


Todo final de verão muitas águas podem rolar... E esse foi o tema da apresentação de 20 de março de 2010 dos Contadores de Histórias do Museu da Vida: a água. A partir de histórias, cordéis e outros poemas, os Contadores levarão o público em uma aventura por enchentes, secas, nascentes, rios e outras paisagens relacionadas ao uso da água em nossas cidades.
 
Logo após as histórias, os participantes mergulharam ainda mais nesse tema, durante um bate-papo com o professor, engenheiro e sanitarista Sérgio Menezes, do Programa de Implantação do Campus Mata Atlântica / Fiocruz. 
 
A atividade contou ainda com a Biblioteca Móvel, que disponibiliza seu acervo para que os visitantes possam explorar o tema.
 
Os Contadores de Histórias ocorriam sempre no terceiro sábado de cada mês, às 11h, na Tenda da Ciência, do Museu da Vida. O evento era gratuito.
 
Acesse aqui a programação detalhada.
 
Mais informações pelo telefone (21) 2590-6747 ou pelo e-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..
 
Nessa edição, os Contadores de Histórias falaram sobre a vida e obra de Carlos Chagas.



Em 17 de outubro de 2009, às 11h, os Contadores de Histórias do Museu da Vida levaram ao público um pouco da vida e da obra do cientista brasileiro Carlos Chagas.

Em 2009, festejou-se o centenário da descoberta da doença de Chagas. Em comemoração a esse grande feito científico, os Contadores prepararam uma programação especial – “Carlos Chagas nos trilhos da descoberta” – que falou também da curiosidade, característica que não pode faltar num bom cientista!

Após as histórias, foi realizado um bate-papo com a pesquisadora Simone Kropf, da Casa de Oswaldo Cruz, que apresentou aspectos históricos relacionados à descoberta da doença de Chagas.

O público aprendeu mais sobre o que é pesquisa científica, conheceu mais detalhes sobre o trem-laboratório usado por Chagas, e sobre o barbeiro. Além disso, foi possível também conhecer um pouco mais sobre a infância do cientista no interior de Minas Gerais e sua atuação como pesquisador do Instituto Oswaldo Cruz.

Livros da biblioteca móvel também estiveram disponíveis.

O evento aconteceu no dia 17 de outubro, sábado, às 11 horas, na Tenda do Museu da Vida. A atividade foi gratuita.

Veja aqui a programação detalhada.

Mais informações pelo telefone (21) 2590-6747.
E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
 
Em 2009, Museu da Vida ofereceu série de atividades dedicadas à terceira idade.
Em comemoração pelo Dia Nacional do Idoso, em 1º de outubro de 2009, o Museu da Vida programou uma série de atividades especiais dedicadas a esse público: "Ciência e diversão não têm idade". De 9h30 às 16h30, os visitantes participaram de trilhas histórico-ecológicas pela Fiocruz, percorreram o circuito histórico no trenzinho da ciência e conferiram palestras e oficinas direcionadas ao idoso, além de mostra de vídeos e peça teatral. O evento foi gratuito e sem inscrição prévia. "Ciência e diversão não têm idade" foi uma programação para toda a família!
Veja abaixo o programa completo!
Mais informações: (21) 2590-6747 e Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. .
Programação:
.::Atividades no Centro de Recepção do Museu da Vida ::.
Circuito histórico no Trenzinho da Ciência
Estação do trenzinho. 
com Alessandro Batista (Museu da Vida) e Fernanda Pires (Museu da Vida)
Durante um passeio no trenzinho da ciência, o público aprendeu mais sobre o Núcleo Arquitetônico Histórico de Manguinhos e as atividades desenvolvidas no campus da Fundação Oswaldo Cruz.
Horários: 9h30 e 14h30
Ciência com pipoca
com Paulo Colonese (Museu da Vida)
Mostra de vídeos científicos e debate sobre ciência e saúde.
Horários: 10h e 15h
Bate-papo
Sala de Vídeo
com Cristie Campello (UnATI/UERJ), Alzira Tereza Lobato (UERJ) e Marcela Sanches (Museu da Vida)
Bate-papo sobre temas diversos como ciência, saúde, direitos do idoso, memória e história oral.
Horários: 10h20, 11h00, 14h e 15h
Exposição Mini-Darwin
Nessa exposição sete meninos e meninas e dois cientistas, entre 28 de dezembro de 2006 e 9 de janeiro de 2007, seguiram as pegadas de Charles Darwin, o grande cientista que há quase 200 anos realizou uma importante viagem científica ao redor do mundo.
Horários: 9h30 às 16h30
.::Atividade na Tenda da Ciência::.
Espetáculo teatral “O Mistério do Barbeiro”
com Andressa  Lameu, Letícia Guimarães, Milena Monteiro, Último de Carvalho e Vinicius Alkaim. Direção: Gustavo Ottoni
O espetáculo abordou vida e obra de um dos cientistas mais célebres da Fundação Oswaldo Cruz: Carlos Chagas. Em linguagem simples e bem humorada o espectador pôde conhecer um pouco mais da atuação de Chagas em Lassance, interior de Minas Gerais, onde desenvolveu estudos sobre a doença que levaria seu nome. A peça foi seguida por um debate com os atores do espetáculo.
Horários: 10h30 e 13h30
Contadores de Histórias
com Laise Carvalho (Museu da Vida) e Suzi Aguiar (Museu da Vida)
Contadores de histórias reunia contadores, pesquisadores e o público. As contadoras misturavam fantasia, literatura, ciência e saúde a partir de histórias envolventes e divertidas. “Saúde, histórias com simpatia” foi o tema dos contadores nessa programação especial.
Incluiu bate-papo com o convidado Fernando Duma (COC/Depes)
Horário: 15h30
.::Atividades no Epidaurinho::.
Barbeiro é só profissão?
com Edmilson Barcellos e Francisco (Museu da Vida)
A oficina abordou, de forma divertida e descontraída, o barbeiro e a Doença de Chagas.
Horário: 9h30
Show de Ciência
com Silvio Bento (Museu da Vida)
Realização de experimentos em química e física, com utilização de mágica e arte cênica.
Horários: 11h
.::Ativdades na Área externa do Parque da Ciência::.
Trilha histórico-ecológica
Saída: Praça solar
com Miguel Oliveira (Museu da Vida) e Waldir Ribeiro (Museu da Vida)
Durante um passeio animado e muito divertido, o público aprendeu mais sobre o meio ambiente e conheceu algumas espécies de plantas do campus da Fiocruz em Manguinhos.
Horários: 10h30 e 14h00
Oficina de vídeo
Jardim dos códigos
com Luis Victorino (Museu da Vida) 
Vários conceitos científicos foram discutidos nessa oficina durante a gravação de um vídeo. O público aprendeu como funcionam vários equipamentos que utilizamos em nosso dia-a-dia.
Horário: 15h30 às 16h30 
Oficina Fábrica de Bolhas de Sabão
com Anna Karla Silva (Museu da Vida)
A oficina para criação de bolhas de sabão abordou, de forma divertida, as células e conceitos de membrana, através da comparação da forma das bolhas com os tipos de células do corpo. Falamos ainda sobre propriedades da água, do detergente, da glicerina e da composição das moléculas.
Horários: 13h30 às 15h00
Exercícios e o coração
com Elen Chaves (Museu da Vida)
Você sabe o que o exercício faz para o seu coração? O público aprendeu sobre os efeitos dos exercícios sobre o coração e a pressão arterial, bem como sobre as consequências das atividades físicas para seu corpo!
Horários: 14h30h às 15h00
.::Sala de exposição temporária do Museu da Vida::.
Exposição Fiocruz: Patrimônio Científico e Cultural da Saúde
Horários: 9h30 às 16h30
Série de debates abordou temas como alimentação, educação e qualidade de vida.



O Serviço de Educação em Ciências e Saúde (Seducs) do Museu da Vida (Casa de Oswaldo Cruz/Fiocruz) inaugurou, no dia 15 de setembro de 2009, a edição do seu Ciclo de Palestras Ciência e Saúde. A primeira apresentação abordou o impacto da alimentação na qualidade de vida e abriu a série de conferências e debates que ocorre até 30 de outubro.
 
Gratuito, o evento foi direcionado a professores e alunos de cursos de formação de professores, mas também ao público em geral. Confira abaixo a programação das palestras
 
O Ciclo Ciência e Saúde foi realizado no auditório do Museu da Vida (Avenida Brasil, 4.365, Manguinhos, Rio de Janeiro), sempre das 9h às 12h. A inscrição pode ser feita no dia do evento ou pelo e-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.. Mais informações pelos telefones: 3865-2130 e 3865-2216.
 
Veja abaixo a programação completa do ciclo:
 
"Os desafios de uma Educação Especial”, com Paula Fragoso, da Secretaria Municipal de Educação, e Valéria Oliveira, da Fundação Mosaico. Dia 30 de outubro, de 9h às 12h.
 
 
Palestras já realizadas:
 
“O Impacto da Alimentação na Qualidade de Vida”, com Ana Lucia Fittipaldi e Alessandra Veggi, da Escola Nacional de Saúde Pública (Fiocruz). Dia 15 de setembro, de 9h às 12h.
 
“H1N1 – Influenza”, com Patrícia Brasil, do Instituto de Pesquisa Clínica Evandro Chagas (Fiocruz), e Luiz Antônio Teixeira, da Casa de Oswaldo Cruz (Fiocruz). Dia 30 de setembro, de 9h às 12h.
 
“Saúde do Professor/Educador e suas relações de trabalho”, com Bertha Borges, da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, e Gabriela Lyra, do Centro Latino-Americano de Estudos de Violência e Saúde Jorge Careli (Fiocruz). Dia 8 de outubro, de 9h às 12h.
 
Link para o site Invivo
link para o site do explorador mirim
link para o site brasiliana

funcionamento terça a sexta-feira: 9-16h30, sábados: 10h-16h

agendamento de visitas (0xx21) 25906747

Fiocruz, Av. Brasil, 4365 - Manguinhos, Rio de Janeiro| CEP: 21040-900

Copyright © Museu da vida | Casa de Oswaldo Cruz | Fiocruz

museudavida@fiocruz.br

O Museu da Vida faz parte de:

abcmc astc redpop ecsite icom

Amigos do Museu da Vida: uma rede de Saúde, ciência e cultura

patrocínio master

ibm dataprev conheça