Ir para o conteúdo

Compartilhe

Facebook Twitter Imprimir
A mostra abordou o nascimento a partir de um olhar multidisciplinar.


É imensa a felicidade que sentimos quando um bebê vem ao mundo! Mas você já parou para pensar que, além de um fato biológico, o ato de nascer pode ser encarado pelo ponto de vista da arte, da antropologia, da religião e tantos outros? 
Foto: Peter Ilicciev


A mostra “Nascer”, inaugurada em 2 de setembro de 2011 e em cartaz até 3 de março de 2012, reuniu, na sala 307 do Castelo da Fiocruz, objetos, textos e imagens para destacar a diversidade cultural em torno do nascimento. Coordenada pelo Museu da Vida, a exposição foi organizada em três módulos – "A Concepção", "Nascimento" e "Apresentação da criança à sociedade" – subdivididos em 20 painéis temáticos, que abordaram o tema numa perspectiva lúdica mas sem fugir do fundamento científico. Clique aqui para ver uma fotogaleria da exposição no nosso Flickr.

“A ideia da exposição é apresentar, de forma provocativa e multidisciplinar, um ato comum a todos nós – o ato de nascer – mas único para cada indivíduo”, conta Luisa Massarani, chefe do Museu da Vida. “Obras de arte, instrumentos científicos e informações científicas permeiam a exposição, que visa atrair crianças, jovens, adultos e famílias”, diz.

A abertura do primeiro módulo foi inspirada no útero. Nele estiveram as diversas etapas do nascimento, desde o encontro do casal, passando pelo instinto maternal e paternal, a fecundação, a gravidez e suas fases.

O segundo módulo abordava os diversos locais para nascer, incluindo a preparação para receber o novo integrante da família, passando pelas diversas maneiras de dar à luz: em um hospital ou por meio de experiência individual, como em algumas culturas indígenas. Os profissionais envolvidos e as várias formas de parto (normal, na água, humanizado, cesárea e com a utilização de fórceps) também apareceram nesse módulo.

A última parte da exposição foi dedicada às práticas usadas para o acolhimento e a inserção do recém-nascido na sociedade. O módulo apresentou temas científicos e culturais: o acompanhamento médico do bebê, a identificação na maternidade, o teste do pezinho, a vacinação, o registro civil, as crenças religiosas da família e a apresentação à comunidade do seu novo componente. 
Foto: Peter Ilicciev


Nos 270 m² de área ocupados pela exposição “Nascer” foram distribuídas mais de 60 peças do acervo da Reserva Técnica do Museu da Vida, do Instituto Nacional de Tecnologia, do Clube Militar do Rio de Janeiro, do Museu de Folclore Edison Carneiro, do Museu Nacional da UFRJ, do Museu Judaico do Rio de Janeiro, do Museu do Índio do Rio de Janeiro, do Museu Casa do Pontal e dos acervos de João Mauricio Pinho, Paula Rigo e Sheila Mendonça.

A mostra foi uma parceria do Museu da Vida/Casa de Oswaldo Cruz (COC) com o Instituto Fernandes Figueira (IFF), também uma unidade da Fiocruz, e o Instituto Nacional de Tecnologia (INT), órgão ligado ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação. A exposição "Nascer" contou ainda com a colaboração do Consórcio Cederj.


Link para o site Invivo
link para o site do explorador mirim
link para o site brasiliana

funcionamento terça a sexta-feira: 9-16h30, sábados: 10h-16h

agendamento de visitas (0xx21) 25906747

Fiocruz, Av. Brasil, 4365 - Manguinhos, Rio de Janeiro| CEP: 21045-900

Copyright © Museu da vida | Casa de Oswaldo Cruz | Fiocruz

museudavida@fiocruz.br

O Museu da Vida faz parte de:

abcmc astc redpop ecsite icom

Amigos do Museu da Vida: uma rede de Saúde, ciência e cultura

patrocínio master

ibm dataprev conheça